Fabio Presgrave - Coordenador de Classe

O violoncelista carioca Fabio Presgrave recebeu seus títulos de Bacharel e Mestre em Performance pela renomada Juilliard School of Music em Nova Iorque, onde estudou com Harvey Shapiro e Joel Krosnick. Apresentou-se como solista junto a orquestras como Qatar Philharmonic, Orquestra Filarmônica de Rosário (Argentina), Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais dentre outras. Realizou estreias e primeiras audições e gravações de obras para violoncelo de compositores como Jonatas Manzolli, Marisa Rezende, Pablo Castellar, Rodrigo Cicchelli, Raimundo Penaforte, Roberto Victorio e Silvio Ferraz. Registrou em CD obras de José Siqueira e Camargo Guarnieri com a Camerata Fukuda e Celso Antunes, trabalho indicado para o Prêmio TIM. Recebeu o Menção de destaque da temporada 2003 pelo “Jornal do Brasil” e o Prêmio Carlos Gomes em 2006 como membro do Quarteto Camargo Guarnieri. Ministrou Masterclasses e atuou como professor convidado em grandes centros de ensino musical, como Sibelius Academy (Finlandia), Royal Academy of Music (Dinamarca), Muenster MusikHochSchule, Folkwang Universitat der Kunste (EssenAlemanha), Universitaet der Kuenste (Alemanha) e Festival Internacional de Campos do Jordão. É Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) com o cargo de Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Música da UFRN e Professor Colaborador do PPGMUS da USP. Fabio Presgrave é Doutor pela UNICAMP e recentemente, com bolsa da CAPES, realizou em colaboração com o Prof. Matias de Oliveira Pinto sua pesquisa Pós-Doutoral na Westfaelisch Wilhems-Univesitaet, onde atuou como professor convidado em 2018.

André Micheletti

Natural de Piracicaba, André Micheletti tem duplo doutorado pela Indiana University em Violoncelo e Violoncelo Barroco, sob orientação de Helga Winold, Nigel North e Stanley Ritchie, tendo aulas e master classes com Janos Starker. Foi bolsista da CAPES-Fulbright em seus doutorados. Mestre em Violoncelo e Pedagogia do violoncelo pela Northwestern University, em Chicago, sob orientação de Hans Jörgen Jensen, e Bacharel em violoncelo pela Unicamp, sob orientação de Antonio Lauro del Claro. Foi professor nos Festivais de música de Juiz de Fora, Belém, Londrina, Campos do Jordão, Itu, Brasília. Como solista, fez a primeira audição do concerto para violoncelo e orquestra de Edmundo Vilani Côrtes e apresentou-se frente a Orquestra Sinfônica de Heliópolis (Instituto Baccarelli), Orquestra Sinfônica de Goiás, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Sinfônica de Belém (Pará), Orquestra Experimental de Repertório, Camerata Fukuda, Orquestra de Camera da Unesp, Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, North Shore Chamber Orchestra (EUA), Bach Gamut Ensemble (EUA). Com instrumento de época (violoncelo barroco), foi finalista do Concours Etoile-Galaxy, de Montreal com o Trio Vetruviani e semi-finalista da competição ‘À Tre‘, em Trössingen, Alemanha. Primeiro colocado e melhor intérprete de Música Brasileira nos Concursos Estímulo aos Jovens Solistas do Brasil e no Concurso Jovens Instrumentistas do Brasil, além de vencedor do Concurso Jovens Solistas da Orquestra Experimental de Repertório. Em 2009 foi vencedor do Concurso de Música da Espanha e América Latina, promovido pela Embaixada da Espanha nos Estados Unidos e pelo Centro de Música Latino-Americana da Indiana University com o Trio Micheletti. Atualmente é professor de violoncelo na USP-Ribeirão Preto.

Mariana Amaral

iniciou seus estudos musicais aos sete anos no Conservatório de Tatuí. Posteriormente estudou com os professores Alceu Reis e Fábio Presgrave. Em 2005 recebeu uma bolsa da Fundação Vitae para estudar na “Ferenc Liszt Music Academy” em Budapeste (Hungria), na classe dos professores György Déri e Peter Szabo. Em 2009 foi bolsista do Lions Clube- Essen Werethina- Alemanha.De 2009 a 2013 estudou na “Folkwang Universität der Künste” (Essen-Alemanha),na classe dos professores Alexander Hülshoff, Uli Wetteler e Friedemann Pardal. Apresentou-se como solista junto a Barok Orchester Folkwank Universität der Künste-Alemanha. Por dois anos consecutivos foi vencedora do Concurso Jovens Solistas da Orquestra Experimental de Repertório. Em 2010 foi vencedora do prêmio Ayrton Pinto do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, como bolsista de maior destaque na categoria cordas. Participou de importantes festivais internacionais de música como: Festival Junger Künstler Bayreuth, Festival International de Musique Universitaire de Marrakech, Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão. Foi professora de violoncelo do Instituto Elga Marte e Instituto Baccarelli. Pertenceu a importantes orquestras como: “Staatsorchester Rheinische Philharmonie” e primeiro cello da “Kammeroper Köln”, ambas na Alemanha.Atua como violoncelista convidada da OSESP desde 2008. É violoncelista do São Paulo Piano Quartet e desde 2014, é concertino do naipe de violoncelos da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo.

Emerson Nazário

Bacharel e Mestre em violoncelo pela Universidade de Tel Aviv, Buchmann-Mehta School of Music na classe do professor Hillel Zori. Atualmente é primeiro violoncelo da Orquestra Filarmônica de Goiás. Iniciou seus estudos musicais no Instituto Baccarelli com o professor Fabio Presgrave. Apresentou-se em diversos masterclasses com importantes músicos como Yo Yo Ma, Miklos Perenyi, Peter Wispelwey, Christian Poltera, Clive greensmith, Denis Parker, Marc Cooppey, Hagai Shaham, Menahen Breuer e grupos, como o Quarteto Tokyo e o Quarteto Szymanowsky. Foi primeiro violoncelo da Orquestra Sinfônica Buchmann-Mehta e também integrou, como músico convidado, o naipe de violoncelos da Orquestra Filarmônica de Israel, tendo à frente regentes como Zubin Mehta, Kurt Masur, Herbert Blomstedt entre outros. Tocou em importantes salas como Gasteig, Alte Oper e Beethovenhalle na Alemanha, Tonhalle Zurich na Suiça, Musiekgebouw na Holanda e Charles Bronfman Auditorium em Israel. Como músico de câmara, é Membro do Quarteto Brasileiro de Tel Aviv, grupo com o qual gravou para a Rádio Kolhamusica, de Jerusalém, e se apresentou em concertos no Brasil, Alemanha e Israel. Foi professor convidado do 40o e 41o "Festival Internacional de Música Belkiss Spenzieri Carneiro de Mendonça", da EMAC/UFG, ministrando aulas e realizando concertos junto aos professores do festival.

Martin Osten

Es egresado del Conservatorio de Música de Lübeck/Alemania, donde estudió con David Geringas. Estudió antes con Lynn Harrell en la University of Southern California/Los Angeles y con Wolfgang Boettcher en la Universität der Künste en Berlín, y además tomó clases particulares con Yo-Yo Ma y participó en cursos con Boris Pergamenschikov, Heinrich Schiff, Frans Helmerson y el Cuarteto Borodin. Ha obtenido premios en diversos concursos internacionales y se ha presentado como solista con importantes orquestas de Europa, como la Orquesta Sinfónica de la Radio Polaca de Varsovia en Polonia, la Orquesta Filarmónica de Budapest, la Orquesta de Cámara Münchner Kammersolisten, entre muchas otras, siendo dirigidas por destacados directores. Junto a la Orquesta Filarmónica de Berlín participó en numerosos conciertos, grabaciones y giras entre 1991 y 2005. Con “Los 12 Violoncellistas de la Orquesta Filarmónica de Berlín” hizo grabaciones y participó en conciertos en Alemania, Japón y Hungría. Tocó con el Cuarteto Brandis, con el pianista y director Christoph Eschenbach, y ha participado en importantes festivales como el Tanglewood Music Festival, el Ravinia Music Festival en Chicago, el IMS Prussia Cove Festival en Inglaterra y el Schleswig-Holstein Musik Festival en Alemania. Desde el año 2009 se desempeña como Profesor de Violoncello del Instituto de Música de la Pontificia Universidad Católica de Chile. Ha dictado clases magistrales de violoncello y música de cámara en el Conservatorio de Música de San Francisco/USA, en Italia en el marco de los cursos internacionales Zephyr Music Festival en Courmayeur/Italia, y en el Teatro del Lago en Frutillar/Chile. Como profesor visitante, fue invitado en 2012 a la Griffith University, Brisbane/Australia, en 2017 a la Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) in Natal / Brasil, y en 2017 y 2018 a la Musikhochschule Münster / Alemania. En 2011 y 2016 participó como miembro del jurado en el Concurso Internacional de Violoncello Dr. Luis Sigall (Viña del Mar, Chile).

Roman Mekinulov

Violoncelo principal (Jane D. Baird Endowed Chair) Natural de Leningrado, Rússia, Roman Mekinulov iniciou estudos de violoncelo aos cinco anos de idade na Escola de Música de Leningrado. Aos 12 e 14 anos, ele foi vencedor do Concurso de Jovens Artistas de Leningrado. Em 1985, ele foi apresentado na série Winner's Showcase, no Great Philharmonic Hall, em Leningrado. Aos 16 anos, o Sr. Mekinulov ingressou no Colégio Rimsky-Korsakov, onde estudou com Georgy Ginovker. Como músico de câmara, ele se apresentou com vários conjuntos e, em 1988, recebeu o primeiro prêmio no concurso de música de câmara de Leningrado. Em 1989, ele imigrou para os Estados Unidos e continuou seus estudos na Juilliard School, em Nova York, onde concluiu com êxito os diplomas de bacharelado e mestrado com bolsa de estudos na classe do professor Harvey Shapiro. Como um recitalista ativo, músico de câmara e concerto solista, Roman Mekinulov se apresentou extensivamente nos Estados Unidos, Itália, Áustria, Hungria, Alemanha, França, Grécia, Dinamarca, Suíça e também na Rússia, sua terra natal. Em 1990, ele foi o artista de destaque na Young Artists Showcase - Série da Estação de Rádio Pública WQXR de Nova York. Roman ganhou o primeiro prêmio no concurso Five Towns Music Foundation, bem como os principais prêmios no Friday Night Music Club e no Great Neck Music Competitions. Ele também participou de várias masterclasses na Europa, com artistas como Mario Brunello, Alain Meunier, Tsuoshi Tsutsumi, Aner Bilsma e Iwan Monighetti. Em 1991, Roman formou-se com o pianista grego Charis Dimaras, um grupo profissional, The Emerald Duo, que se apresentou com grande sucesso nos dois lados do Atlântico e venceu o Concurso Internacional de Música Palma d'Oro, na Itália. Roman apareceu como violoncelista principal da Orquestra e Orquestra Juilliard sob Kurt Masur, Hugh Wolf e Leonard Slatkin, a Sinfônica da Carolina do Norte em sua turnê européia, bem como a Orquestra do Festival Schleswig-Holstein na Alemanha com maestros como Rostropovich, Menuchin e Eschenbach. Em abril de 1993, como resultado da conquista do prêmio de violoncelo internacional para jovens artistas de 1992, Roman Mekinulov apresentou seu recital de Nova York - estreia no Carnegie Weill Recital Hall. Nesta ocasião, a crítica Edith Eisler, da "Strings" - Magazine, escreveu: "O violoncelista Roman Mekinulov, de 20 anos, é muito sério, muito talentoso e muito bom. Ele lida com instrumentos e arco com facilidade, tem um tom bonito e musicalidade genuína ". Desde a temporada 1995-96, o Sr. Mekinulov foi convidado repetidamente para substituir na Filarmônica de Nova York sob direção musical, Kurt Masur, e outros regentes convidados, em concerto, além de gravações para a Teldec. No outono de 95, ele fez sua estréia solo com orquestra nos EUA, apresentando o concerto de violoncelo de R. Schumann com a Greater Newburgh Symphony. Em julho de 1996, ele fez um recital no famoso Concertgebouw Hall, em Amsterdã. Em 1998, ele completou uma série de recitais de música de câmara em homenagem aos 100 anos da morte de Brahms na Alemanha e na Grécia. Em 1998, o Sr. Mekinulov foi nomeado violoncelista principal da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo no Brasil, onde se apresentou sob os principais maestros e com os principais solistas do mundo. Ele foi apresentado como solista de todas as principais orquestras de todo o Brasil, além de Argentina e Peru. Em setembro de 2001, o Sr. Mekinulov foi indicado ao prestigiado Prêmio Carlos Gomes na categoria "Melhor Instrumentista do Ano". Em 2001, o Sr. Mekinulov foi nomeado violoncelista principal da Orquestra Filarmônica de Buffalo, onde nos últimos 5 anos ele foi apresentado inúmeras vezes como solista com essa orquestra, e apareceu em mais de 60 concertos de música de câmara no oeste de Nova York, bem como com Jupiter Chamber Players in New York City. Roman mantém um estúdio de ensino muito ocupado e teve um grande sucesso nessa área, onde seus alunos nos últimos 3 anos foram excluídos nos principais conservatórios, como Curtis, NEC, CIM, Peabody, Manhattan e Eastman School of Music. Roman é membro fundador e diretor artístico do Bravo International Chamber Music Workshop, um abrangente workshop de música de câmara para estudantes do ensino médio que acontece todos os anos durante o mês de julho.

Dora Utermohl

Dora Utermohl de Queiroz é professora de violoncelo no curso de Licenciatura em Música da Universidade Federal do Ceará (UFC), onde colabora intensamente com o programa de extensão Prática Instrumental Sinfônica, integrando a Orquestra Sinfônica da UFC Fortaleza e coordenando o projeto Grupo de Violoncelos da UFC, Oficinas de Violoncelo e co-coordenando a Camerata de Cordas UFC. Dora é mestre em música e bacharel em violoncelo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), sob a orientação do Prof. Dr. Fabio Soren Presgrave. Natural de Getúlio Vargas-RS, iniciou seus estudos de violoncelo na Orquestra de Concertos de Erechim-Rs. Além de ter participado de inúmeros festivais, participou como aluna ativa de masterclasses com os violoncelistas: Julian Steckel (ALE), Romain Garioud (FR), Martim Ostertag (ALE), Darrett Adkins (EUA), Mark Kosower (EUA), Ole Akahoshi (EUA), Alexander Baille (ALE), Geneviève Teulieres- Sommer (FRA), entre outros. Em 2007 conquistou o 2º lugar no Concurso Jovens Instrumentistas de Cordas Paulo Bosísio. Em 2012 ganhou bolsa de estudos do Santander Universidades para intercâmbio em 2013 na Universidade do Minho em Portugal sob a orientação do Prof.º Pavel Gomziakov. Em 2014 ganhou bolsa de estudos da APICE- Associação Amigos do Piano do Ceará e Assocition Cello au Sommet para participar do Festival Violoncelles en Folie em Briançon- FR. Foi artista residente no Festival Música nas Montanhas (Poços de Caldas), MIMO (Olinda) tocando juntamente com o grupo UFRN CELLOS, e do Festival Internacional de Música de Belém. Ministrou masterclasses e atuou como professora convidada nos seguintes cursos: II Violoncelos em Folia , Festival Eurochestries 2015, Nordeste 2016 e Festival Eleazar de Carvalho. Como solista atuou com a Orquestra de Câmara da UFRN e com a Banda Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará.

Márcio Malard

Um dos violoncelistas brasileiros que mais ocupou a cadeira de primeiro violoncelista de orquestras sinfônicas. O experiente músico tem 40 anos à frente da Sinfônica Brasileira, com a qual excursionou pela Europa, Estados Unidos e Canadá. Também trabalhou em shows como músico de artistas como Wagner Tiso, Tom Jobim, Maria Bethânia e Caetano Veloso.

Frederico Arantes Nable

Frederico Arantes Nable iniciou seus estudos no violoncelo em 2006, na Fundação de Educação Artística em Belo Horizonte – MG, posteriormente estudando com Abel Moraes, Alceu Reis e Fabio Presgrave. Em 2011 concluiu a Licenciatura com Habilitação em Instrumento pela Universidade Federal de São João Del-Rei (onde obteve nota máxima em violoncelo) e em 2015 o Mestrado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, tornando-se em 2016 professor efetivo da mesma instituição. Desenvolve intensa atividade como professor de violoncelo desde o início de sua formação, tendo atuado no projeto de extensão Vivências Musicais da UFSJ, no Espaço Cultural Integrar e na Fábrica de Artes em Belo Horizonte e na Orquestra de Cordas de Sarzedo (2012 a 2015). Atualmente leciona na graduação, curso técnico e cursos de extensão da Escola de Música da UFRN. Realizou estreias mundiais de peças dos compositores Dante Grela (Argentina), Danilo Guanais, Sílvio Ferraz e Beetholven Cunha. Em 2018 foi professor convidado da I Mostra de Violoncelos da UFC e do II Festival de Cordas Flausino Valle, tendo participado também de masterclasses com o violoncelista Mark Kosower (Primeiro violoncelo da Cleveland Orchestra) no festival “Hidden Valley Music Seminars” em Carmel Valley na Califórnia. Em 2019 foi professor convidado do segundo festival “Belo Cello” em Belo Horizonte, ao lado de nomes como Marcio Carneiro e Matias de Oliveira Pinto. No mesmo ano ministrou masterclasses de violoncelo na Universidade Federal de São João del Rei, a convite do prof. Dr. Abel Moraes. Atualmente atua como recitalista junto ao pianista e professor Durval Cesetti, é coordenador da Orquestra Infantojuvenil da UFRN, membro e coordenador do quarteto de cordas “Minereste”, membro do trio “Acauã” e coordenador adjunto do “UFRN Cellos”.

Matias de Oliveria Pinto

Matias é natural de São Paulo onde iniciou seus estudos musicais. Em 1980, mudou-se para Berlim como bolsista da Fundação Herbert von Karajan. Na Europa estudou na Escola Superior de Música de Berlim (HdK) e na Academia Franz Liszt de Budapeste. Pedagogo muito solicitado, Matias é professor de violoncelo na Universidade das Artes de Berlim, na Faculdade de Música de Münster e frequentemente ministra masterclasses em diversos países. O músico realiza extensas turnês pelos EUA, vários países da América do Sul, toda a Europa, Ásia, Nova Zelândia e Austrália, apresentando-se também em importantes festivais. Faz Duo com a pianista Viviane Taliberti e se apresenta regularmente como violoncelista do Modern Art Sextet Berlin e Turmalin Trio. Diretor Artístico do Festival Celloherbst, na Alemanha, tem se apresentado também como regente em vários países europeus. Em Berlim se apresenta nas salas de concertos mais importantes da cidade como, por exemplo, Philharmonie, Konzerthaus, Appollo-Saal Der Staatsoper, entre outras. Gravou Cd’s pelos selos europeus Academy, Kreuzberg Records, Bella Musica, Hungaroton Classics e Cello Colors.

Teresa Cristina Rodrigues

Doutora em Práticas Interpretativas pela UNICAMP sob orientação de Edmundo Hora. Obteve Licenciatura na Universidade de São Paulo onde estudou violoncelo com Zigmunt Kubala, Robert Suethoz e Watson Clis. Especializou-se em violoncelo barroco no Conservatório Real de Haia, Holanda, com Jaap Ter Linden e fez Mestrado em Música na Lousiana State University com Dennis Parker. Publicou o album VIOLONCELO XXI juntamente com os professores Felipe Avellar de Aquino e Fabio Presgrave. Foi integrante do grupo Triplo Contínuo com o qual gravou CD dedicado a obras de compositores Italianos do século XVIII e do grupo Sonâncias com o qual gravou o Cd ResSonancias, com obras de compositores brasileiros século XXI. Foi integrante da Orquestra Sinfônica da USP. Desde 2015 é professora de Violoncelo e História da Música no Instituto Federal da Paraíba.

Guilherme Monegatto

Nascido em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo), Guilherme iniciou seus estudos de violoncelo aos cinco anos e fez sua estréia solo aos dezesseis anos, com a Orquestra Sinfônica da Unicamp, tocando Variações Rococó de Tchaikovsky. Em 2009, Guilherme ingressou na Orquestra Experimental de Repertório (OER), sendo seu músico mais jovem aos 15 anos. No ano seguinte, atuou como diretor da Orquestra Juvenil de Paulínia, parte de um programa social fundado pelo governo para dar oportunidade a jovens músicos ter aulas de graça, além da bolsa de estudos oferecida aos músicos da orquestra. Guilherme ajudou o programa como professor substituto de crianças. No mesmo ano, formou-se no Conservatório Carlos Gomes, em Campinas (SP - Brasil), estudando com Lara Ziggiati e André Micheletti. Ele foi para os Estados Unidos em 2013, recebeu três bolsas de estudos (Anthony & Olimpia Barbera Latin American Scholarship, Leonard Bernstein Scholarship, and Scott C. and Kathryn Schurz Latin American Friends of Music Scholarship) da Indiana University - Jacobs School of Music, e ele está atualmente no último ano do Bacharelado, estudando com Peter Stumpf. Músico de câmara ativo. Guilherme se apresentou várias vezes na Jacobs School of Music; em 2015, ele foi convidado a fazer parte do projeto “Embracing the Second Viennese School”, no qual teve a honra de apresentar a Lyric Suite de Alban Berg com os professores Jorja Fleezanis e Stephen Wyrczynski. Guilherme também está envolvido com o Historical Performance Institute da Indiana University; em 2014/15, integrou a Orquestra Barroca / Clássica, dirigida por Stanley Ritchie, que também orientou particularmente Guilherme em seus estudos sobre violoncelo barroco. Além disso, Guilherme teve aulas particulares com Janos Starker, Hans Jensen, Helga Winold, Antonio Meneses; ele também teve treinamentos de câmara com membros do Pacifica Quartet, Arnaldo Cohen, Grigor Kalinovsky, Kurt Muroki, Edmund Battersby, entre outros.