Lucca Zambonini - Coordenador de Classe

Lucca Zambonini ocupa desde 2010 a posição de Primeira Trompa Associado da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. É idealizador da plataforma Inteligência Musical que promove educação musical de excelência para centenas de crianças e jovens. Como solista, atuou em diversas cidades do Brasil e exterior, além de possuir o título de Doutor em Música pela UNICAMP. Dentre as orquestras que atuou inclui-se a Baden-Baden Philharmonic/DE, Badisches Staatstheater Karlsruhe/DE, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica Brasileira, Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo, Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Jeunesses Musicales World Orchestra, The World Orchestra entre outras.

Radegundis Tavares

Presidente fundador da Associação de Trompistas do Brasil (2013-2015), Radegundis Tavares gravou três CDs solo e coordenou o primeiro Simpósio da International Horn Society na América Latina, a 49ª edição. Foi eleito em 2017 para a posição de Advisory Council da International Horn Society, o 2º sul-americano a ocupar essa posição. Estreou diversas obras brasileiras para as mais variadas formações. Transcreveu, interpretou e gravou diversas obras com destaque para composições virtuosísticas e da música brasileira popular. Cursou Bacharelado, Mestrado e Doutorado na UFPB e teve como professor de trompa Cisneiro de Andrade e como orientador na pós-graduação Luis Ricardo Silva Queiroz. Radegundis desenvolve pesquisa relacionada a performance na trompa e é líder do Grupo de Pesquisa de Prática de Instrumentos Musicais. Desde abril de 2008 é professor efetivo de trompa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN.

Adalto Soares

Adalto Soares é professor de trompa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Doutor em Música pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Foi professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO e Integrante do grupo UNIRIO METAIS. Iniciou seus estudos de música na Banda Musical de Cubatão com o Maestro Roberto Farias. Foi integrante da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo - OSESP, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo e Orquestra Sinfônica da Paraíba. Conhecido por sua criatividade nas iniciativas que concebe e coordena, como por exemplo a Orquestra de Metais Lyra Tatuí, um dos mais inventivos projetos socioculturais do Brasil com a qual excursionou diversas vezes pela Europa. Professor nos Festivais de música de Campos do Jordão, La Serena - Chile, In Concert - Gramado, Londrina, Conexões - UNIRIO/UFF. Diretor artístico no Coreto Paulista nas cidades de Serra Negra e Tatuí. Lecionou no Conservatório de Tatuí. Desenvolve carreira solo como trompista com Cds lançados pelo grupo de choro Horn Brasil, Orquestra de Sopro Brasileira - Tatuí e Orquestra de Sopro de Karlsruhe – Alemanha. Construtor e restaurador de instrumentos de metais, com especialização na Horn Building e Brass Technology pela William Cummings House com o professor Lowell Greer – Toledo, Ohio USA.

Michael Alpert

Formou-se na Universidade de Boston em 1976 e depois se mudou para Israel em 1977 para trabalhar com a Orquestra Galileia e a Orquestra de Rádio de Jerusalém. Chegou ao Brasil em 1978. Trabalhou com a Orquestra Municipal, a Orquestra Estadual, Sinfonia Cultura e o Jazz Sinfônica. Começou a estudar trompa natural nos anos 90 e foi membro do instrumento histórico conjunto, Harmoniemusik desde 1997 até sua aposentadoria em 2018. Professor de trompa na Universidade de São Paulo desde sua chegada ao Brasil em 1979, agora se aposentou, mas continua como professor sênior de administração aulas de trompa. Em 2010 escreveu sua tese de doutorado em "Trompa Natural para o Trompista Moderno".

Bernardo Silva

Natural do Porto, Portugal. Estudou na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Jonathan Luxton, e Hochschule für Musik em Hamburgo, com Ab Koster. Frequentou aulas e masterclasses com Radovan Vlatkovic, Hermann Baumann, Javier Bonet, Bruno Schneider, Stefan Dohr, Froydis Ree Wekre, Philip Myers, Fergus McWilliam, Hervé Joulain, Will Sanders, Jasper de Waal, Zdenek Tylsar, entre outros. Foi-lhe atribuída uma bolsa de mérito pelo Instituto Politécnico de Lisboa e foi bolseiro da Fundação Calouste de Gulbenkian. É solista da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Como músico convidado apresentou-se com todas as principais orquestras portuguesas e com várias orquestras internacionais. É professor na Universidade de Aveiro, Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto - ESMAE e na Escola Profissional de Música de Espinho. É regularmente convidado para júri de concursos nacionais e internacionais, esteve em concursos em Portugal, Espanha e Finlândia. Apresentou-se como solista, em recital, em música de câmara e em orquestra em vários países, tais como Portugal, Espanha, França, Bélgica, Holanda, Polónia, Alemanha, Inglaterra, Finlândia, Luxemburgo, República Checa, Rússia, Brasil e México. Foi premiado com o 1o Prémio no Concurso Internacional Philip Farkas organizado pela Sociedade Internacional de Trompistas em Lahti, Finlândia, em 2002. A sua discografia conta com vários trabalhos a solo, em música de câmara e como músico de orquestra. Tem mantido um relacionamento estreito com vários compositores no sentido de alargar o repertório original para o instrumento, tendo estreado inúmeras obras. Compositores como Anne Victorino d’ Almeida, Sérgio Azevedo, Telmo Marques, Luís Carvalho e Liduino Pitombeira dedicaram-lhe obras. É membro fundador do quarteto Trompas Lusas. O agrupamento apresenta-se com frequência em concertos em Portugal e no estrangeiro. Em 2019 foi eleito como membro do Conselho Consultivo da International Horn Society. J. Bernardo Silva é artista Dürk-Horns e Romera Brass.

Samuel Hamzem

Natural de Belo Horizonte, onde iniciou os estudos de trompa com Sérgio Gomes. Foi primeira trompa da Orquestra Filarmônica de Goiás e da Sinfonieta da Universidade de Brasília, onde cursou Bacharelado em Trompa sob a orientação de Bohumil Med. Atuou também como segunda trompa na Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo de 97 a 2016. Participou de inúmeros festivais pelo Brasil tanto como aluno como professor, incluindo o Festival de Bronces em Isla Verde, na Argentina. Teve também como professor o trompista Luiz Garcia, em São Paulo. Desde 2016 ocupa a cadeira de 4ª trompa da Chicago Lyric Opera.

Philip Doyle

Philip Doyle Radicado no Brasil desde 1977, começou seus estudos de trompa na Inglaterra com Adrian Leaper em 1973. No Rio de Janeiro, estudou com João Jeronimo Meneses e Zdenék Svab. Aulas com Norman Schweikert, Gregory Hustis, Roland Pandolfi, Hermann Baumann , Frank Lloyd e Vladimira Klanská aprimoraram seus estudos. Philip obteve seu Mestrado em Música pela Escola de Música da UFRJ, onde atualmente leciona. Trompista solista da Orquestra Petrobras Sinfônica e da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, também é membro do Quinteto Villa-Lobos desde 1987. Recebeu prêmios como: Prêmio BR-Rival em 2008 pelo CD “Quintetos de Sopro Brasileiros 1926-1974”; indicação ao Grammy Latino em 2011 pelo CD “Rasgando Seda”; Prêmio Carlos Gomes, promovido pelo Governo do Estado de São Paulo, como melhor grupo de câmara em 2001 e 2009. Foi condecorado em 2018, com a Ordem de Rio Branco por serviços culturais. Desde 2010, é professor de trompa na Escola de Música da UFRJ, e leciona nos principais festivais de música do país.

Tiago Carneiro

Atualmente é músico da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro onde por diversas vezes já atuou como solista frente a orquestra. Mestrando em Música pela Universidade de Aveiro em Portugal na classe do professor Bernardo Silva. Atuou como trompista convidado na Orquestra da Casa da Música - Porto, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Orquestra Petrobrás Sinfônica. No ano de 2014 foi premiado com o quarteto Brasileiro de trompas no concurso de música de câmara realizado pelo festival Villa-Lobos. Participou de festivais internacionais como Hornweek International na Cracóvia (2015) e em Karlsruhe (2018) na Alemanha onde se apresentou e fez aulas com diversos professores renomados como: Will Sanders (Holanda), Willy Bessems (Alemanha), Szabolcs Zempleni (Hungria), Guido Corti (Itália) e Stefan Dohr (Alemanha).

Jéssica Vicente

Iniciou seus estudos musicais aos 12 anos de idade no Instituto Baccarelli. Em 2009, ingressou na Sinfônica Heliópolis onde teve a oportunidade de participar de uma turnê pela Europa. Ela teve aulas e participou do curso “Fearless”, realizado na Universidade de Indiana - Estados Unidos em 2012. Em 2014 ingressou na Academia de Música da OSESP por dois anos, onde pode tocar com seus professores na Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Como musicista convidada, Jessica se apresentou com a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica da USP - OSUSP, Orquestra Bachiana Filarmônica entre outras. Jessica recebeu bolsas para estudar em vários festivais de música, incluindo o Festival de Inverno de Campos do Jordão, o Festival de Música de Pelotas e a Orquestra das Américas (YOA). É formada em Licenciatura em Música pela Faculdade de Música Cantareira e recentemente se formou na Azusa Pacific University.

Alma Maria Liebrecht

Alma Maria Liebrecht é a trompista principal da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais desde 2013. Alma foi a trompista original do grupo de música de câmera Decoda, e tem se apresentado nos festivais de Música de Câmera de Campos do Jordão, Portillo (Chile), Savannah (EUA), Music from Angel Fire (EUA), Festival Artes Vertentes (Tiradentes), Festival Wien Modern (Áustria), Contemplus Festival (República Checa) e com os grupos Chamber Music Society of Lincoln Center, Ensemble Connect (antes conhecida como Ensemble ACJW), New York Wind Soloists, Jupiter Chamber Players, Argento New Music Project e Talea Ensemble. Como musicista de orquestra tem se apresentado com o Orpheus Chamber Orchestra, a OSESP, as Orquestras Sinfônicas de Princeton, Richmond, Delaware, e Harrisburg, e também, o New York City Opera Orchestra, Pennsylvania Ballet, Hong Kong Sinfonietta, Chamber Orchestra of Philadelphia, e o Symphony in C. Alma se formou no Curtis Institute of Music e no Yale School of Music (mestrado) onde foi aluna do Jerome Ashby e William Purvis respectivamente. Natural de Silver Spring, Maryland, Estados Unidos, a Alma adora praticar esportes, especialmente corrida e natação.

Noelia Baltodano

Noelia Baltodano (21/09/1994) nasceu em San José, Costa Rica, onde começou seus estudos musicais aos 6 anos de idade. Ela recebeu suas primeiras aulas de trompa com Luis Murillo (trompista principal da Orquestra Sinfônica Nacional da Costa Rica), com quem trabalhou por muitos anos e depois passou um semestre na Universidade da Costa Rica, onde recebeu aulas com Juan Manuel Arana. Em 2014, Noelia decidiu dedicar sua vida à sua paixão e mudou-se para a Holanda para estudar no Conservatório de Maastricht com os professores Will Sanders e Willy Bessems. Em 2018, ela obteve seu bacharelado em música, com especialidade em trompa e pedagogia. Atualmente, Noelia vive em Karlsruhe, Alemanha, onde continua trabalhando com Will Sanders. Noelia participou de vários festivais de música em todo o mundo e recebeu aulas com professores de renome, como: Christian Lampert, Szabolcz Zempléni, Andrew Bain, Stefan Dohr, Johannes Hinterholzer, Bernhard Scully, Markus Maskuniitty, Luiz García, Thomas Hauschild, Froydis Ree Wekre, Esa Tapani , Christoph Eß, Mahir Kalmik, Christian Friedrich Dallmann, Jason Snider, Erik Ralske, Javier Gándara, entre outros. Por outro lado, em 2019, Noelia foi certificada como professora internacional de ioga (200 horas) na Escola Yogamea, na Itália. Noelia procura combinar o ioga e a música de uma maneira que ajude as pessoas a evitar lesões, a ter uma melhor conexão consigo mesmas ao tocar e, em geral, a ter um estilo de vida mais saudável, física e mentalmente

Josely Saldanha

Josely Saldanha, natural de Belém - PA, iniciou seus estudos musicais aos 7 anos, com seu irmão Josiel Saldanha. Fez o curso técnico de trompa no Conservatório Carlos Gomes em Belém do Pará, de 1994- 1999, com os professores Serguei Dorokov e Chromácio Leão. Participou da Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz, Amazônia Jazz Band, quinteto de metais, coral e banda do Conservatório Carlos Gomes, dentre outras formações. Graduou- se no ano de 2008 pela Universidade Federal da Bahia. É Mestra pelo Programa de Pós- Graduação Profissional em Música. É primeira trompa assistente da Orquestra Sinfônica da Bahia desde 2000 e trompista na Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Bahia desde 2018.

Tayanne Sepulveda

Iniciou seus estudos musicais aos 11 anos de idade no Instituto Baccarelli, sob supervisão dos professores Mario Rocha, Marcelos Silva e Silmara Drezza. Na mesma instituição participou de grupos artísticos na qual teve a oportunidade de tocar junto com músicos de carreira nacional e internacional. Participou de vários festivais nacionais e internacionais como: Festival das Montanhas - Poços de Caldas, Festival SESC de Pelotas, Festival de Inverno de Campos de Jordão, Moritzburg Festival (Alemanha), Lucerne Academy Festival (Suíça), Aurora Festival (Suécia), Pacific Music Festival (Japão). Tayanne é formada em Licenciatura em Música pela Faculdade Cantareira e pela Academia da OSESP sob orientação do professor Luiz Garcia. Atualmente estuda o seu Mestrado em Performance Musical na Musikhochschule em Hannover, sob supervisão do professor Markus Maskuniitty, e além de fazer parte do grupo evangélico Shofar Horn Quartet.

Jose Guede

Corno Solista de la Orquesta Filarmónica de Santiago/ópera nacional de Chile y artista de la marca alemana de cornos “Hans Hoyer”, nacido en la ciudad de La Serena, Chile. Comienza sus estudios en la Escuela Experimental de Música Jorge Peña Hen bajo la tutela del maestro Froilán Zelaya. Desde esa fecha hasta el año 2004 pasa por los conjuntos sinfónicos de la institución realizando conciertos tanto a nivel nacional como internacional. En el año 2000 es seleccionado para representar a Chile en la cumbre iberoamericana de mandatarios realizada en Panamá realizando conciertos con la Orquesta Sinfónica Infantil de América. En el año 2003 integra la Orquesta sinfónica Juvenil del Mercosur realizando conciertos en Paraguay y Argentina. Durante esos años recibe becas de la Corporación amigos del Municipal y Fundación de Orquestas Juveniles e Infantiles de Chile. En el año 2006 se traslada a Sao Paulo,Brasil. Estudiando en la Universidad Libre de Música, también actúa como Primer Corno de la Orquesta Sinfónica Juvenil del Estado de Sao Paulo y la Orquesta Experimental de Repertorio del teatro Municipal de Sao Paulo. Ese mismo año gana el primer lugar en el II concurso de solistas en instrumentos de bronces de la Universidad Livre de São Paulo y también es uno de los ganadores del concurso de jóvenes solistas “ maestro Eleazar de Carvalho”. En el año 2009 realiza una pasantía en Alemania , recibiendo clases en las ciudades de Karlsruhe y Bayreuth, Alemania. Durante el año 2010 realiza perfeccionamiento con el maestro Adalto Soares en el conservatório de Tatuí. En el año 2011 gana el concurso como asistente Solista en la Orquesta Filarmónica del Teatro Amazonas, Brasil. En el año 2017 gana el concurso de Corno Solista en la Orquesta Filarmónica de Santiago. A través de su carrera a participado en giras, cursos y festivales orquestales en España, Alemania,Suecia, Francia, Italia, Austria, Brasil, Belgica y Suiza. Como Solista se a presentado junto a la Orquesta Sinfónica de La Serena, Orquesta Sinfónica de la Universidad Mayor, Orquesta Sinfónica de la Universidad de Concepción, Orquesta Sinfónica Nacional de Paraguay, Orquesta de Camara de Amazonas. En el 2017 es uno de los profesores del 6to encuentro de cornos de Chile y en 2018 es el profesor del 3er encuentro de bronces de la ciudad de Rosario, Argentina.

Klever Felício

Mestre em trompa pela universidade de Ljubljana (SLO), Klever Felício é um trompista brasileiro, natural de São Paulo. Começando seus estudos de música na igreja, teve a oportunidade de experimentar diversos instrumentos até se decidir por estudar trompa. Em 2004 iniciou os seus estudos em trompa na Fundação das Artes de São Caetano do Sul, tendo como professor Nikolay Genov. Já em 2007, Klever foi aceito como aluno de regência pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP), onde estudou até o ano de 2012. Paralelamente ao curso de regência, manteve seus estudos de trompa, tendo como professor a partir de 2010, Samuel Hamzen. Em 2014 foi aceito no curso de mestrado da academia de música da universidade de Ljubljana onde teve como mentor Boštjan Lipovšek. Além de seu professor, Klever participou de master classes e workshops com músicos renomados como Radovan Vlatković, Dale Clevenger, Saar Berger, Sarah Willis, Stefan Dohr, Mahir Kalmik, Rachel Silver, Dávid Bereczky, entre outros. Além de seus estudos na Europa atuou em diversas orquestras, tais como Filarmônica Eslovena, Ópera de Maribor, Orquestra de Câmara de Berlin, Orquestra Real de Praga, Filarmônica Bohuslava Martinů, Filarmônica da Morávia, Orquestra da Rádio e TV de Ljubljana, entre outras.

Rafael Martins

Nascido em Santo André/SP (Brasil), começou seus estudos na trompa aos 14 anos de idade no Conservatório de Música de Tatuí passando pelas classes de Joaquim das Dores e Adalto Soares. Logo após seguiu seus estudos particulares em São Paulo com Mário Rocha e Luís Garcia. Na Alemanha teve aulas com Ignácio Garcia e também Will Sanders. Hoje é trompa grave do Teatro Municipal de São Paulo e da Orquestra Sinfônica Brasileira.

Nikolay Genov

Búlgaro, naturalizado brasileiro, iniciou seus estudos com o pai, Aliipia Tzvetkov Genov, Primeira Trompa da Sinfônica de Burgas. Cursou a Escola de Música da mesma cidade com Todor Todorov. Atuou como solista e participou de seminários com Hermann Baumann e Peter Damm. Venceu o Concurso de Melhor Interpretação de Obra Russa de Burgas e o Concurso da Academia Nacional de Música de Sófia, onde fez bacharelado e mestrado com Vladislav Grigorov. Foi Primeira Trompa da World Youth Orchestra. Integrou a Orquestra Nacional Bulgára e foi Primeira Trompa da Orquestra Sinfônica da Rádio Nacional da Bulgária e das sinfônicas de Ribeirão Preto e Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo. Em 2001, ingressou na Osesp. É professor da Escola Municipal de Música de São Paulo, Fundação das Artes de São Caetano do Sul, integra o Quinteto de Sopros Camargo Guarnieri, a Camerata Aberta e o Percorso Ensemble.

Javier Mijares

Javier Mijares, nace el 20 de junio de 1991 en Caracas, Venezuela. Comienza sus estudios musicales a los 9 años de edad en la ciudad de Los Teques de su país, dentro del Sistema Nacional de Orquestas Juveniles e Infantiles de Venezuela fundado por el Maestro José Antonio abreu. Allí recibe clases de teoría y solfeo, entrenamiento auditivo y comienza a tocar el Corno Francés. Forma parte de las orquestas: infantil, juvenil y sinfónica de Los Teques. En 2006 comienza sus estudios en el conservatorio de música Simón Bolívar de Caracas y en 2008 hace lo propio en IUDEM (Instituto Universitario de Estudios Musicales). En el año 2008 gana un concurso para formar parte de la fila de cornos de la Orquesta Sinfónica Juvenil Teresa Carreño de Venezuela, una de las Orquestas Juveniles más emblemáticas del sistema, la cual realizó numerosas giras a lo largo de todo el mundo, y donde se presentó en los escenarios más importantes tales como: Teatro de la Philarmonie de Berlín, la Scala de Milán, Concertgebouw de Ámsterdam, Royal Albert Hall de Londres, bajo la conducción titular del maestro Christian Vásquez, y también de maestros como: Sir Simon Rattle, Gustavo Dudamel, Ulyses Ascanio, Diego Matheus, entre otros. En 2016 Gana un Concurso para formar parte de la fila de cornos de la orquesta Sinfónica Simón Bolívar de Venezuela, orquesta insigne del Sistema Nacional de Orquestas y que es dirigida por el afamado director Gustavo Dudamel con quien realiza giras en importantes teatros a lo largo de Europa, EEUU, Colombia y la propia Venezuela. A finales de 2017 sale de su país natal y se muda a Santiago de Chile, donde se presenta y gana el concurso al puesto de 2do Corno de la Orquesta Filarmónica de Santiago, Orquesta a la cual pertenece hasta la actualidad y donde realiza numerosos conciertos sinfónicos, óperas y ballets. Entre sus profesores del Corno Francés figuran los maestros: José José Giménez, Ulises Aragón, Líber Oscher, Fernando Mora, Esteban Duque y Luis Valladares. También participa en cursos y clases magistrales con maestros como: Will Sanders, Fergus McWilliam, Marie Luise Neunecker, Alessio Allegrini, Kalervo Kulmala, Matías Piñeira, Jean-Pierre Sedenese y Samuel Seidenberg.

Bruno Soares

Bruno Soares - Atelier de Metais Uma empresa familiar, criada por músicos e luthiers de metais. Fundada pelo trompetista e luthier Bruno Soares e a produtora e luthier Shay Soares. A ideia da empresa começou a se formar em 1996, quando o trompista e luthier Adalto Soares decidiu que iria se especializar em reparos de instrumentos musicais. A receita estava pronta: conhecimento musical, conhecimento técnico do instrumento de metal, muito comprometimento, perseverança e uns bons anos de experiência. Em 2013 Bruno Soares desenvolveu o primeiro protótipo de surdina de estudo, era o gás preciso para que a marca chegasse ao mundo. Foi então que Bruno e Shay concretizaram a Adalto Brass, uma empresa especializada em acessórios musicais para instrumentos de metal. O conhecimento de Bruno e as inovações de Shay, criam produtos originais, acessíveis e de altíssima qualidade.

Fernando Chiappero

Solista principal de la Orquesta Filarmónica de Buenos Ai-res desde 2001, es uno de los principales referentes de su instrumento tanto en Argentina como en Latinoamérica. Fue distinguido con el Primer Premio en el Concurso organiza-do por Festivales Musicales, Primer Premio en el Concurso Nacional para Jóvenes Intérpretes, Premio Konex Revelación 1999, Premio Konex 2009 y Premio de la Asociación de Críticos Musicales de la Argentina. Actuó junto a la Orquesta Filarmónica de Bogotá (Colombia), Camerata Bariloche, Orquesta Sinfónica del SODRE (Uruguay), Orquesta Sinfónica Nacional, Orquesta Filarmónica de Buenos Aires y Orquesta de Valdivia (Chile), entre otras. Como docente fue invitado a importantes festivales como el Internacional de Música de Buenos Aires, de Invierno de Campos do Jordão, de Música de Curitiba, Internacional de Música de Uberlãndia (Brasil) y de Música de Guadalquivir (Bolivia). Durante 2017 realizó numerosos conciertos, entre ellos participó en el 49° International Horn Symposium en Natal (Brasil) como integrante de Bayres Horns y, en Ciudad de México, estrenó Aire, concierto para corno y orquesta de Alexis Aran-da, junto a la Orquesta Sinfónica del Instituto Politécnico Nacional. En la actualidad es profesor del Instituto Superior de Arte del Teatro Colón, fundador de Argenbrass (Academia de Bronces de Buenos Aires), integrante y fundador de Bayres Horns y recientemente fue nombrado Coordinador Regional de Latinoamérica por la International Horn Society (IHS).