Live – 03/07

Programe-se! Aqui você pode acessar as “lives” do dia. Inscreva-se também em nosso canal no YouTube.

8h – Música Viva

Música Viva – Ciclos em 24 tonalidades: parte 1 (Marcus Varela)

Música Viva – Ciclos em 24 tonalidades: parte 1 (Marcus Varela)

Neste episódio iniciamos uma série que apresenta um modo diferente de ouvir, e comparar ciclos de peças para o teclado, escritas nas 24 tonalidades maiores e menores. Partindo do Cravo bem Temperado de Bach, situamos em sequências nas mesmas tonalidades os Prelúdios op.28 de Chopin, os Prelúdios (sem as Fugas) op.87 de Shostakovich e os Prelúdios em estilo de Jazz, de Nicolai Kapustin.

Música Viva foi um programa de rádio da Escola de Música da UFRN, em parceria com a FM Universitária de Natal, veiculado entre 2006 e 2014. Foi idealizado e apresentado pelos professores Marcus Varela e Danilo Guanais. Você pode acessar todos os programas pelo Auditório Onofre Lopes Digital no link: https://onofre.musica.ufrn.br/musica-viva/
Cada episódio possui aproximadamente 1 hora, e propõe um tema ligado à música de concerto, com comentários e informações que possam orientar a apreciação, expandir o vocabulário e o conhecimento sobre música, de uma forma geral. Os temas variam entre gêneros específicos, instrumentos, intérpretes e compositores, obras comentadas, períodos históricos e música de época, música brasileira, produções da Escola de Música da UFRN, questões ligadas à análise musical e à teoria da música, bem como outros temas pitorescos e curiosidades do meio musical. Por ocasião da pandemia, e com a intenção de levar informação sobre música aos alunos e à comunidade em geral, o programa foi reformatado para podcast diário. O acervo está em constante construção, como um novo episódio acrescentado a cada dia. Aqui no FIMUCA separamos uma pequena amostra dentre os muitos temas que você poderá acessar e ouvir.

21h – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP

FIMUCA – OSESP

Em abril de 2019, com a OSESP, Marin Alsop regeu pela primeira vez o ciclo completo das Sinfonias de Robert Schumann reorquestradas por Gustav Mahler. Sobre a “Sinfonia nº 2”, que assistimos aqui, ela nos conta: “(…) Schumann tinha severos problemas mentais: era provavelmente bipolar, sofria com isso — e, claro, ainda não existia medicação. Em meio à profunda depressão que o acometia à época, começou a escutar anjos tocando trompetes. No início da ‘Segunda Sinfonia’ podemos ouvir uma pequena fanfarra, que se enreda em toda a peça e reaparece de forma triunfal no Finale. Acho que isso ilustra como ele se sentiu [ao finalizar a obra]: de alguma forma, conseguiu sair da depressão e escrever uma linda peça. Além disso, as fugas mostram os momentos em que Schumann estava organizando sua mente – em suas sinfonias há muitas delas, que lembram fugas barrocas. Podemos ouvir isso, por exemplo, na fuga do movimento lento [Adagio espressivo] da Segunda Sinfonia (…)”. _________

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp
Marin Alsop, regente
SCHUMANN | Sinfonia nº 2 em Dó Maior, Op. 61 [em orquestração de Gustav Mahler]
I. Sostenuto Assai. Allegro ma non troppo
II. Scherzo: Allegro Vivace
III. Adagio Espressivo
IV. Allegro Molto Vivace

[Gravação realizada pela TV Cultura no dia 26 de abril de 2019.]