Romeu Rabelo - Coordenador de Classe - O universo do contrafagote

Fagotista e contrafagotista da Osesp desde 2012, Romeu Rabelo é natural de Tiradentes, Minas Gerais. Aos 6 anos, iniciou seus estudos em música com Anizabel Rodrigues e Tadeu Nicolau. Graduou-se em fagote na UFMG, na classe de Mauro Mascarenhas, e concluiu o mestrado em performance, sob orientação de Fausto Borém. Atualmente é aluno de Guilhaume Santana na Hochschule für Musik Saar, na Alemanha. Atuou como músico das orquestras Filarmônica e Sinfônica de Minas Gerais e foi solista da Orquestra de Ouro Branco, da Orquestra de Câmara SESIMINAS e da Orquestra do Festival de Música de Santa Catarina, além da Sinfônica de Minas. Lecionou fagote na Universidade Federal de Minas Gerais, na Universidade do Estado de Minas Gerais, no NEOJIBA, no Festival Internacional SESC de Música em Pelotas, no Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora, na Semana da Música de Ouro Branco e no Festival Eleazar de Carvalho em Fortaleza. Atualmente é professor da Academia de Música da OSESP. Integra o Quinteto de Fagotes Camaleon, o Trio Madeiras e o São Paulo Trio d'Anches.

Ricardo Rapoport - Fagotes históricos

Nasceu no Rio de janeiro, aonde estudou violão, viola da gamba, harmonia e contraponto, composição, regência, arquitetura e fagote, com Noël Devos. Venceu diversos concursos de fagote (Sul América, Jovens Solistas OSESP e OSTNCS, Funarte, etc.) e foi fagotista titular da Orquestra Sinfônica Brasileira. Em 1984 mudou-se para Paris para estudar fagote com Maurice Allard no CNSM de Paris aonde obteve o 1º Prêmio de fagote seguido de um 3º ciclo de câmara com Maurice Bourgue. É também fascinado pela música contemporânea e pela musica popular brasileira, que pratica regularmente. Trabalha regularmente com a editora alemã Accolade pela qual tem editados diversos arranjos, material pedagogico e ensina fagote, fagotes históricos e música de câmara nos Conservatórios de Rennes e Paul Dukas - Paris 12 e é regularmente convidado para cursos e master classes na Europa, Brasil e Estados Unidos.

Francisco Formiga - Livro: Palhetas de Fagote – Elementos envolvidos e suas funcionalidades

Natural de Tauá, no Ceará, cursou a Escola de Música da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais - e o Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado, onde iniciou os estudos de fagote com Stanislaw Durek. Concluiu o bacharelado em fagote com Benjamim Coelho. Cursos de aperfeiçoamento com Noel Devos (França-Brasil), Mario Costantini (Itália), Sérgio Lima Gonçalves (Brasil), Gerald Corey (EUA), Afonso Venturieri (Brasil) e Helman Young (Alemanha). Em 2015, formou-se Mestre em Música pela Universidade Federal da Bahia. Com mais de 30 anos de atuação profissional em orquestras, integrou grandes grupos sinfônicos do cenário nacional, como a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, entre os anos de 1986 a 1993, Orquestra Experimental de Repertório e Banda Sinfônica do Estado de São Paulo (de 1993 a 1997). Desde 1997, é fagotista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a OSESP. Como professor de fagote atuou no Centro de Musicalização Infantil da UFMG, no Centro de Formação Artística do Palácio das Artes, no Departamento de Música da UFMG). De 2001 a 2003, lecionou no Centro de Estudos Musicais Tom Jobim – ULM. De 2004 a 2010 foi professor na Faculdade de Artes Alcântara Machado - FAAM. Entre os anos 2013 e 2015, foi também professor da Academia da Música da OSESP. Atualmente é professor de fagote na Escola Municipal de Musica de São Paulo. Participações em festivais de música clássica: Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, Festival de Jaraguá do Sul, Oficinas de Musica de Curitiba, Curso de Verão de Brasilia, Festival Musica nas Montanhas/Poços de Caldas, Festival Internacional de Musica do Pará e Festival de Música de Cartagena/Colômbia entre outros.

Filipe Castro - Preparação para audições e concursos

Natural de Guarulhos, Filipe iniciou os estudos musicais aos 12 anos na igreja em que frequentava. Logo em seguida, passou a se profissionalizar sob a orientação de Alexandre Silvério na EMESP. Integrou várias orquestras jovens e profissionais em São Paulo, participou de diversos festivais, entre eles o Pacific Music Festival no Japão, e foi aluno de Volker Tessmann na HFM Hanns-Eisler em Berlim. É ex-fagotista da OSESP e atual aluno de Afonso Venturieri na Escola Superior de Música de Genebra, atuando também como músico convidado na Orchestre de la Suisse Romande.

Fábio Cury - O fagote na música moderna

Fábio Cury é professor de fagote na Universidade de São Paulo. Integrou, como fagotista solista, as mais importantes orquestras brasileiras, tais como a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo. Além disso, tem se destacado como um versátil solista e camerista, revelando facetas pouco conhecidas de seu instrumento. Foi membro fundador da Camerata Aberta, grupo totalmente dedicado ao repertório contemporâneo com o qual foi premiado pela APCA e pela Revista Bravo. Seus esforços em prol da divulgação da música brasileira encontraram reconhecimento com o prêmio de Melhor Álbum de Música Erudita conferido pela APCA, em 2010, ao CD Novas e Velhas Cirandas: Música Brasileira para Fagote e Orquestra. Lançou ainda Mignone por Fábio Cury: 16 Valsas para Fagote Solo, pelo selo SESC, e Santoro Inédito, pelo selo Água Forte. O álbum Fábio Cury e Alessandro Santoro interpretam Bach registra sua estreia com os instrumentos históricos. Gravou ainda música de câmara para os selos Paulus, Meridian (Inglaterra) e Brasil Meta Cultural - Lindoro (Espanha). Sua atividade multifacetada e a especial atenção que concede à música brasileira credenciaram-no como presença marcante não só em praticamente todos os festivais de música e séries de música de câmara como também à frente das mais prestigiosas orquestras brasileiras. Da mesma forma, já atuou como intérprete, professor e palestrante em eventos na Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia, Panamá, Estados Unidos, Canadá, Bélgica, Eslovênia, Inglaterra, França, Portugal, Espanha, China e Japão entre outros países.

Catherine Carignan - O fagote na orquestra sinfônica

A fagotista canadense Catherine Carignan foi largamente autodidata no aprendizado do seu instrumento, até ingressar no Conservatoire de Musique du Québec à Montréal, aos quinze anos, quando começou a ter aulas semanais de fagote, solfejo e teoria musical. Formou-se bacharel pelo Conservatoire em abril de 2007, sob instrução de Mathieu Harel, após estudar em outras instituições entre 2003 e 2006 e obter um certificado em tradução da Université de Montréal. Emendou a graduação no Conservatoire com seu primeiro emprego, na Victoria Symphony Orchestra, onde foi segunda fagotista até agosto de 2008. Catherine teve o privilégio de receber as orientações de fagotistas renomados como Noël Devos, Mark Popkin, Lauren Glickman, Stephen Maxym, Gustavo Núñez, Nadina Mackie-Jackson, Stéphane Lévesque, Christopher Millard, Fraser Jackson, Whitney Crockett e Mark Engelberg, em vários festivais e encontros no Canadá, Estados Unidos, Alemanha e Brasil. Desde novembro de 2008, Catherine é primeira fagotista da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, em Belo Horizonte, onde aparece frequentemente como solista e co-solista com colegas da orquestra. Foi professora substituta de fagote na Universidade Federal de Minas Gerais em 2013 e 2014, participou dos Primeiro e Segundo Encontros Internacionais de Oboés e Fagotes da Universidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul, em 2012 e 2013, e participou do Primeiro Encontro da Associação Brasileira de Palhetas Duplas em João Pessoa, em setembro de 2017, como recitalista e palestrante. Paralelamente à suas atividades na Filarmônica de Minas Gerais, Catherine estuda massoterapia e medicina tradicional chinesa no Instituto Mineiro de Acupuntura e Massagens desde novembro de 2019.

Benjamin Coelho - Organização do estudo

Benjamin Coelho - Organização do estudo Benjamin Coelho, natural de Tatuí, SP, iniciou o seu estudos musicais no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí. Em 1984 ele se formou com Bacharel em Belas Artes pela Universidade Estadual de Nova York. Em 1986 completou o Mestrado em Música pela Manhattan School of Music, Nova York. De 1987 a 1995 trabalhou extensivamente como fagotista e professor no Brasil, incluindo posições na Orquestra Sinfônica de Campinas, Quinteto Gramado, Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Universidade Federal de Minas Gerais em Belo Horizonte, Grupo de Música Contemporânea de Minas Gerais, e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. Radicado nos EUA desde 1995, é atualmente Professor Titular da University of Iowa, onde desenvolve intenso trabalho como educador e concertista. Ele também atua como fagote solista na Quad City Symphony Orchestra e é membro do Trio de Palhetas Voxman. Um entusiasta da música nova, encomendou, apresentou e registrou em gravações de CD obras de compositores latino-americanos, europeus, e americanos. Como professor e concertista apresentou dezenas de concertos em cinco continents. Nos últimos seis anos tem atuado como professor no Festival de Música de Santa Catarina (FEMUSC). Seus professores de fagote incluem Clóvis Franco, Donald MacCourt , Arthur Weisberg, e Kim Walker. Estudou por dois anos com Noel Devos nos cursos de extensão da UNI Rio. Benjamin reside em Iowa City com a com sua amada esposa Karen e suas maravilhosas filhas Liliana e Julia

Aloysio Fagerlande - O fagote na música de câmara brasileira

Professor associado da Escola de Música da UFRJ, é Coordenador do Programa de Pós-graduação Profissional em Música-PROMUS da EM-UFRJ. Doutor em Música pela UniRio, Mestre em Música pela UFRJ, com especialização em Musicologia pelo CBM, realizou curso de aperfeiçoamento em fagote (Cours de Perfectionnement) na classe de Gilbert Audin no Conservatoire National de Region de Rueil-Malmaison, França, obtendo o Prix de Virtuosité (1986-1987), como bolsista da Capes. Tem realizado concertos como solista e camerista, enquanto integrante do Quinteto Villa-Lobos, por diversos países da Europa, América Latina, América do Norte, Ásia e África. Gravou vários CDs, sempre vinculados a seus projetos de pesquisa na UFRJ, todos contemplados através de editais da FAPERJ e Petrobras. Tem atuado principalmente nos seguintes temas: fagote, quinteto de sopros, música de câmara, Heitor Villa-Lobos e Francisco Mignone.

Alexandre Silvério - Klaus Thunemann e seus ensinamentos

Alexandre Silvério é um dos únicos fagotistas no mundo que se dedica ao Jazz e a Música Clássica. Incentivado pelo seu pai começou a estudar música através do piano, aos 7 anos de idade. Em 1997 passou a integrar a OSESP e, dois anos mais tarde, recebeu bolsa de estudos da Fundação Vitae para estudar na Alemanha com o lendário fagotista Klaus Thunemann, na “Hochschule für Musik Hanns Eisler – Berlin”. Em 2001 passou a fazer parte da Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim (Karajan Akademie). Durante esse período na Alemanha, atuou com os mais destacados nomes da música erudita internacional, entre eles a Orquestra de Câmara Alemã, a Orquestra Sinfônica de Berlim e a famosa Orquestra Filarmônica de Berlim, onde teve a oportunidade de tocar com Seiji Ozawa, Mariss Jansons, Pierre Boulez, Andre Prévin, Sir Simon Rattle, entre outros. Desde 2004 ocupa a cadeira de 1º fagote-solo da OSESP, é professor da Academia de Música da Osesp, professor da EMESP e integrante do Camaleon Bassoons. É Professor e Fundador do Curso de Fagote Online - Bassoon Lesson.

Afonso Venturieri - Formação de músicos em conservatórios europeus

Afonso Venturieri é atualmente 1° fagote solista da Orchestre de la Suisse Romande e professor de fagote na Escola Superior de Música de Genebra. Depois de estudar inicialmente em Viena e em Berlim, Afonso Venturieri completou sua formação na Escola Superior de Música de Detmold sob orientação de Helman Jung, obtendo o seu diploma com a nota máxima. Em seguida pôde se aperfeiçoar na classe de solistas da Escola Superior de Música Mozarteum de Salzburg de Milan Turkovic. Afonso Venturieri foi membro do « Ensemble Modern » de Frankfurt – formação especialzada na execução de música contemporânea e da « Camerata Academica Mozarteum » de Salzburg. Em 1987 ingressou na Orchestre de la Suisse Romande, onde ocupa até hoje o cargo de 1° fagote solista. Em 2002 assumiu o cargo de professor na Escola Superior de Música de Genebra. É convidado regularmente para concertos e masterclasses na Europa e em outros países, por exemplo no Japão, China, Canadá, México, etc.