Pedro Gadelha - Coordenador de Classe

Pedro Gadelha é contrabaixo solista da OSESP, depois de vários anos na Alemanha como membro da Ópera de Frankfurt, além de participar em várias orquestras e grupos internacionais, como a Filarmônica de Berlim, as Sinfônicas de Colônia, Frankfurt, Stuttgart, Berlim, Madri, Galícia, etc. Seu interesse por vários estilos de música o levou a colaborar com o Ensemble Modern e outros grupos de música contemporânea, barroca, experimental ou popular. Acredita que para um músico a vida na orquestra é completada e enriquecida por outras formas como a música de câmara, a pesquisa histórica, o experimentalismo e a pedagogia. É professor da Escola de Música do Estado de São Paulo e desenvolve intensa atividade como docente participando de projetos em festivais e escolas de música, como o Ilumina Festival, Campos do Jordão, Conservatório Superior de Paris, University of Georgia, Joven Orquesta Nacional de España, Cátedra Nacional de Contrabajo (Chile), entre outros.

Sebastián Espinosa

Santiago do Chile, 1982. Iniciou seus estudos de contrabaixo em 2000 na Pontifícia Universidade Católica do Chile. No início, foi o primeiro contrabaixo das Orquestras Sinfônicas da Juventude e da Câmara Nacional do Teatro Municipal de Santiago e foi selecionado para participar de várias orquestras internacionais, como a Orquestra da Juventude Latino-Americana na Venezuela e a Academia Orquestral do Festival Schleswig-Holstein Musik. Entre 2006 e 2008, frequentou a Escola de Música Reina Sofia na Espanha, com uma bolsa da Fundação Carolina e da Fundação Albéniz, onde foi aluno dos professores Antonio García Araque, Rainer Zepperitz e Duncan McTier. Durante sua carreira, recebeu master classes de baixistas como Jim Rapport, Boguslaw Furtok, Dorin Marc e Slawomir Grenda; Tocou em palcos importantes, como o Auditório Nacional de Madri, o Palácio da Música em Valência, o Teatro del Liceo em Barcelona, o Castelo Schleswig-Holstein em Hamburgo e o Teatro Teresa Carreño em Caracas; e esteve sob a direção de renomados professores como Claudio Abbado, Zubin Mehta, Ros Marbà, López Cobos, Stefan Lano e Vladimir Ashkenazy. Como solista, realizou concertos com a Orquestra de Câmara Municipal de Teatro, a Orquestra de Câmara da Universidad Mayor e a Orquestra Sinfônica de La Serena e, além de realizar inúmeros concertos no Auditório da Universidad Mayor, atuou em cenários de Belo Horizonte e San José na Costa Rica. Sua carreira docente começou em 2008 como professor da cadeirade contrabaixo na Universidad Mayor, cargo que ocupa até hoje. Lecionou inúmeros cursos de contrabaixo no Teatro del Lago em Frutillar e realizou aulas de mestrado no Centro Nacional de Música da Costa Rica, na Universidade de Minas Gerais, no Festival de Campos de Jordão e no Royal College de Londres. Também no campo educacional, junto com seus alunos, formou o quarteto de contrabaixo "La Grave" e, em 2012, fundou o projeto de treinamento "Cátedra Nacional de Contrabajo", que contou com o apoio de vários contrabaixistas da mídia internacional, como Pedro Gadelha, Neto Bellotto, Otto Tolonen e Slawomir Grenda, entre outros. No âmbito de sua prática docente nas aulas de orquestra da Universidade Mayor, desde 2017, ele começa a dirigir a Orquestra de Câmara dessa universidade e, a partir de 2020, ele também é responsável pela Orquestra Sinfônica da Universidade Mayor.

Savio de la Corte

Natural de São Paulo, iniciou seus estudos de contrabaixo com Sándor Mólnar na Escola Municipal de Música, prosseguindo-os com Sérgio de Oliveira. Ainda como graduando da Escola de Comunicações e Artes da USP transladou-se à Alemanha, onde completou a faculdade sob a orientação de Rainer Zepperitz na Universidade das Artes de Berlim. Na mesma escola, cursou especialização como solista com Klaus Stoll. Posteriormente, e de acordo com seus interesses na prática da música antiga, cursou em Barcelona um Máster em Interpretação Histórica com Andrew Ackermann na Escola Superior de Música da Catalunha. Tocou em diversos grupos e orquestras como a do Teatro Municipal de São Paulo, Deutsches Sinfonie-Orchester Berlin, Bamberger Symphoniker, Oper- und Museumsorchester Frankfurt e Essener Philharmoniker. Atualmente é contrabaixista da Orquestra do Gran Teatre del Liceu em Barcelona.

Patricia Weitzel

Patricia Weitzel desenvolve carreira internacional atuando como professora, musicista de orquestra e de câmara. Reside nos Estados Unidos há 14 anos e sera Professora de Contrabaixo na Columbus State University a partir de Agosto de 2020.   Sua formação em contrabaixo teve início com Ricardo Vasconcellos na Escola de Musica de Brasilia, continuando os estudos na Universidade Federal de Minas Gerais com o Dr. Fausto Borem. Logo depois mudou-se aos Estados Unidos para estudar com o Dr. Marcos Machado. Patricia é doutora em música (DMA) pela University of Iowa onde estudou com o mundialmente conhecido contrabaixista e pedagogo, Volkan Orhon.  Sua carreira tem sido marcada pela versatilidade e criatividade, tendo realizado diversas turnês pela Europa, America Latina e Estados Unidos. Patricia ja foi membro da Orquestra das Americas, Aldeburgh Orchestra, Aldeburgh Strings, Chineke! Orchestra e da Sphinx Virtuosi. Gravou trilhas sonoras de filmes como o Rei Leao (2019) e por diversas vezes se apresentou com artistas renomados como a cantora Lizzo no Grammys 2020. Atualmente ela e membro da Des Moines e Quad City Orchestras alem de ser contrabaixista substituta da St. Paul Chamber Orchestra, uma das melhores orquestras de camara do mundo. Atualmente Patricia e uma das diretoras da Associacao Internacional de Contrabaixistas (ISB), uma organizacao com mais de 2000 membros em 40 paises com funcao de conectar, inspirar e educar contrabaixistas mundialmente.

Luis Cabrera

Nascido em Madri 1985, depois de estudar no conservatório profissional Joaquín Turina com Rafael Frías e depois com Karen Martirossian, mudou-se para Londres em 2003, para estudar com Rinat Ibragimov na Guildhall School. Mais tarde, ele receberia um mestrado na "Hochschule Hans Eisler" com o professor Janne Saksala.Recentemente, ele foi convidado a tocar como contrabaixo principal com a "London Symphony Orchestra", "Royal concertgebouw Orchestra", "Rotterdam Philharmonic", "The Royal Philharmonic Orchestra", "English National Opera (ENO)", BBC Orchestras, "Orquestra Nacional da França "," Scottish Chamber Orchestra "," Royal Northem Symphony "," London Mozart Players "," London Sinfonieta e "Amsterdam Sinfonieta", onde foi regido por Sir Colin Davis, Valery Gergiev, Kurt Masur e Charles Dutoit ou Bernard Haitink, entre outros.Luis participou de vários festivais e participou de gravações de prestígio, como com a EMI Classics, BBC ou Pentatone, além de colaborar com o programa “New generation Artist” da BBC no Reino Unido, tocando com artistas como Alina Ibragimova, Gordan Nicolitch ou Sarah Chang, entre outros.Desde 2006, ele é o principal contrabaixo da «Orquestra Filarmônica da Holanda» em Amsterdã, e sua atividade como professor e concertista o levou a ministrar cursos e tocar em Hong Kong, Grécia, México, Holanda, Argentina, Reino Unido, França, Bélgica e Espanha. .Desde 2012, ele é professor na The Guildhall School of Music and Drama, em Londres, e desde 2018 no Conservatório de Roterdã (CODARTS). Luis toca um instrumento fabricado por Carlo Ferdinando Landolfi c.1770, emprestado pela Fundação Nacional de Instrumentos Holandeses (NMF).

Cristian Braica

Cristian Braica nasceu em Margau (Cluj) na Romênia em 1974 e desde 2001 é concertino dos contrabaixos da Sinfônica da Rádio de Frankfurt (HR). Regularmente é convidado das orquestras de Colônia e Bamberg, a Orquestra da Ópera de Franfurt e o Ensemble Modern. O talento musical de Braica ficou conhecido primeiramente quando ele tinha 13 anos, e aos 14 descobriu seu amor pelo contrabaixo. Sua formação iniciou-se com o Prof Nicolae Popa no Ginásio e posteriormente Prof. Dr Liviu Moga na Academia de Música. Em 1998 completou o seu mestrado na Academia “Gh. Dima”de Cluj-Napoca. Diversos prêmios internacionais em competições na Romênia e Alemanha (Markneukirchen 1999, Sperger 2000, Prunner 2002) propiciaram o convite por Justus Frantz para a posição de primeiro contrabaixo na Philharmonie der Nationen. Desenvolve intensa atividade de música de câmara com coloegas da Rádio de Frankfurt, como por exemplo o quarteto “Flying Basses”, além de apresentações com o solista com orquestra. Foi convidado repetidamente para os festivais de Campos do Jordão e Pärmu (Estônia). Cristian vive com sua família em Ilbenstadt.