Classe de Trompete

Daniel D'Alcantara - Coordenador da Classe

Oriundo de uma tradicional família musical brasileira, Daniel D’Alcantara iniciou seus estudos aos 9 anos de idade com seu pai, o trompetista Magno D’Alcantara, e formou-se Bacharel em Trompete pela Universidade de São Paulo (ECA-USP). Como professor, lecionou em importantes eventos musicais, incluindo o Festival de Inverno de Campos do Jordão (2000), Curso de Verão de Brasília, Festival de Inverno deTatuí/SP, Oficina de Música de Curitiba, Festival Choro e Jazz de Jericoacoara-CE. Acompanhou grandes artistas nacionais como João Donato, Roberto Menescal, Ivan Lins, Leny Andrade, Joyce Moreno, Claudete Soares, Filó Machado, Rosa Passos, Milton Nascimento, Max de Castro, Pedro Mariano, Eugenia Melo e Castro. Em 2001 gravou seu primeiro CD, “Horizonte”, em parceria com o baterista Edu Ribeiro (integrante do Trio Corrente). Participou do “Chivas Jazz Festival 2003”, integrando o noneto do lendário saxofonista norte-americano Lee Konitz. Como solista convidado da Orquestra Jazz Sinfônica, participou de duas estréias mundiais, sendo uma em 2004, com a obra “Thaddeus” (Tributo à Thad Jones), de Alexandre Mihanovich, e em 2005, no Festival de Inverno de Campos do Jordão, com a obra “Brasilianas No.4”, do Maestro Cyro Pereira. Em abril de 2005, a convite da fábrica brasileira de instrumentos musicais Weril, ministrou Workshops de Música Instrumental Brasileira em diversos Conservatórios e Universidades na Europa, passando por países como: Itália, França, Alemanha, Inglaterra, Rússia, Bélgica, Estônia e Espanha. Participou da big band formada por músicos brasileiros para executar as obras da Maestrina e Compositora Maria Schneider, sob regência da mesma, no Festival de Jazz de Ouro Preto-Minas Gerais e na Mostra Instrumental EMESP. De 2009 a 2014 foi trompetista solista da “Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo”. Atualmente leciona na Escola de Música Tom Jobim (EMESP), Faculdade Souza Lima/Berklee e também na tradicional Escola Municipal de Música de São Paulo. É integrante da “Soundscape Big Band Jazz”, grupo com o qual gravou quatro Cds (“Maybe September”, “Uncle Charles”, “Cores Vol.1” e “Paisagens sonoras”). Além de participar de inumeras gravações com os mais importantes expoentes da Música Instrumental Brasileira, lidera seu próprio quinteto com composições originais e tem seu CD “Canção para Tempos melhores”.

Diego Garbin

Iniciou seus estudos musicais aos 7 anos, na bateria e violão com seu pai Antônio Garbin, formando-se em trompete no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí-SP, no ano de 2008. Entre suas experiências musicais, ja teve oportunidade de tocar ao lado de músicos como Vinicius Dorin, Maestro Branco, Hermeto Pascoal, Toninho Horta, Armando Marçal, Thiago do Espirito Santo, Marcos Paiva, André Marques, Mario Campos, Itibere Zuarg, Cleber Almeida, Fabio Gouveia, J P Barbosa, Trio Corrente, Humberto Araujo, Nailor Proveta, Ademir Junior, Marcelo Coelho, Daniel Alcantara, Vitor Alcantara, Nelson Faria, Sizão Machado, Gilson Piranzatta, Mauro Senise, Vittor Santos, Jorginho do Trompete, Lenny Andrade, Miles Osland, Altair Martins, entre outros. Participou do disco “Natureza Universal” com a Hermeto Pascoal Big Band, disco esse ganhador do Grammy Latino 2018 como melhor álbum de Jazz Latino. Lançou recentemente seu primeiro álbum solo chamado “Refúgio”, gravado pelo selo Blaxtream de música instrumental. Participou de diversos Festivais no Brasil e no exterior, tais como: Jazz a La Calle – Uruguay, Tucuman Jazz – Argentina, Savassi Jazz Festival – Belo Horizonte, Festival de Música de Ourinhos, Painel Instrumental – Tatuí, e também em shows na Suíça com Paulo Almeida Quinteto. Atualmente é professor do curso de Trompete MPB/JAZZ no Conservatório de Tatuí integrando também a Big Band residente na mesma instituição, bem como dos grupos Hermeto Pascoal e Big Band, Fabio Gouveia Deceto, Noneto de Casa, Cleber Almeida Septeto, André Marques Sexteto, Paulo Almeida Quinteto e Salomão Soares Quarteto.

Junior Galante

Provavelmente como a maioria dos músicos de instrumentos de sopros Junior Galante iniciou sua prática musical em “banda musical juvenil”, mas por indicação de um grande amigo incentivador e professor de música Walter Sky foi estudar na Fundação das Artes de S.C do Sul onde conheceu Amilson Godoy, Nelson Ayres, Hector Costita, Roberto Sion e seu professor de trompete Sr.João Godoy. Aos 16 anos ingressou no quinteto de Wilson Simonal com arranjos de Cesar Camargo Mariano e posteriormente passou 1 ano na Europa tocando música brasileira em contundentes teatros. Num cenário profissional aonde gravações em estúdios eram habituais, trabalhou como músico fixo em produtora de jingles bem como gravações para discos, sendo a primeira participação num álbum com presença de Ivan Lins, Cesar Camargo Mariano, Filó Machado, Jane Duboc… Com 21 anos ingressou na “150 Band” e por 4 anos acompanhou artistas como George Shearing, Billy Eckstine por 3 temporadas, Luis Eça, bem como na Lionel Hampton Jazz Orchestra. Como membro da Orquestra Jazz Sinfônica, tocou e gravou com Tom Jobim, Milton Nascimento, Diane Schuur, Toninho Horta, Wallace Roney etc Por 4 oportunidades tocou com Maria Schneider ocasionando transição pessoal na abordagem em como desempenhar o 1o trompete no classificado Contemporary Jazz. Co-fundador da Soundscape Big Band e com 5 álbuns gravados em um Doc. também é audível o movimento conceitual musical. Em 2012 tocou e gravou como 1o trompete na big band do “Porgy & Bess Jazz and Music Club”, sob a direção da compositora Barbara Bruckmueller em Viena/Áustria. Participa de um projeto sobre Música Brasileira para big band com músicos e professores do cenário musical em Viena aonde acontecem os ensaios na MDW – Universität für Musik und darstellende Kunst Wien e os shows em clubes de jazz daquela cidade. Recentemente, em tempos de isolamento social uma das iniciativas singulares que foi convidado atuar é com extraordinários músicos da América Latina (Big Band) liderada pelo compositor e arranjador da Itália, Gianni Bardaro.

Paulo Viveiro

Considerado um dos trompetistas brasileiros de maior destaque dentro de sua geração, tem ministrado uma série de Masterclasses na América Latina e Europa sobre os aspectos físicos e psicológicos da performance musical. Junto ao projeto “Gafieira São Paulo” ganhou o “22o Prêmio da Música Brasileira” e com o cantor Seu Jorge dois “Latin Grammy”. Bacharel em música pela Faculdade Mozarteum de São Paulo, estudou também na Universidade Livre de Música – Tom Jobim, na Escola Municipal de Música de São Paulo, além de aulas clínicas na Europa (Alemanha, Itália e França). Dentre centenas de gravações em gêneros variados, destacam-se: Orquestra de Câmara da USP, Orquestra Sinfônica de Santos, Orquestra Sinfônica de Santo André, Orquestra Heartbreakers, Bissamblazz Big Band, Gafieira São Paulo, Gal Costa, Erasmo Carlos, Seu Jorge, Caetano Veloso, Matthieu Chedid, Naná Vasconcelos, Chico César, Criolo, Ivete Sangalo, Marcelo Camelo, Zeca Baleiro, André Abujamra, Michel Teló, Alexandre Pires, Skank, Forfun, Cpm22, Jota Quest, Palavra Cantada, entre outros diversos artistas e dezenas de trilhas para filmes e publicidade. Com ensembles distintos, ou atuando como solista, realizou performances nos seguintes países: Uruguai, Venezuela, Argentina, Peru, Angola, Portugal, Itália, França, Alemanha, Bélgica, Suíça, Inglaterra e Holanda.

Otávio Nestares

Trompetista de formação erudita, estudou com Marcos Motta (Teatro Municipal de São Paulo), Fernando Dissenha (OSESP) e Carlos Sulpício (USP).
Foi primeiro trompete na Banda Sinfônica Jovem, já tocou com Orq.Sinfônica de Santo André, Filarmônica de Jerusalém sob regência de Zubhin Metha, Grupo SomMetal sob regência de Marcos Sadao e como solista junto a Orquestra L´Estro Armonico.
 
Atuando na música popular desde 2006, já se apresentou com grandes artistas e bandas nacionais como Banda Black Rio, Funk Como Le Gusta, Seu Jorge, Ed Motta, Paula Lima, Max de Castro, Clube do Balanço, Simoninha, entre outros.
 
É primeiro trompete (lead trumpet) da Speakin’Jazz Big Band, Orquestra da atriz e cantora Bibi Ferreira, Orq. Brasileira de Música Jamaicana (OBMJ), Gigante Mamuthe Brass and Drums e split lead da Orquestra Urbana, big band do compositor brasileiro indicado ao Grammy Rafael Piccoloto de Lima.
Já atuou com a Orq. Jazz Sinfônica de São Paulo, Banda Mantiqueira, Soundscape Big Band, Reteté Big Band, Banda Urbana e diversos outros grupos instrumentais na cidade de São Paulo e também com grandes nomes internacionais do trompete como Jon Faddis, Allen Vizzutti, Eric Myashiro, Byron Stripling, Mike Vax, Trent Austin e Greg Gisbert. Também se apresentou no Rock in Rio com guitarrista Steve Vai e Camerata Florianópolis.
Atualmente é trompetista freelance, se apresentando nas principais produções de musicais da broadway em São Paulo, gravações, aulas e também diretor artístico do principal festival pedagógico de Jazz da América Latina, o Jazz Trumpet Festival e da Ademia de Trompetes São Paulo.

João Lenhari

João Lenhari é trompetista, compositor, arranjador e produtor e um dos músicos mais requisitados da cena atual.

Bacharel em trompete pela UNICAMP, pós-graduado lato sensu em musica popular pela FACCAMP e mestrando em estudos instrumentais e performance pela UNICAMP. Integra como arranjador, compositor e trompetista as seguintes bandas: Banda Urbana, Banda Jazzco, Nelson Ayres Big Band, Orquestra Urbana, Orquestra Jabaquara e We Jam Big Band. Faz parte da banda que acompanha o cantor Roberto Carlos e da banda Sandália de Prata.

Tocou em alguns dos teatros e casas de shows mais renomados do Brasil e do mundo, podendo citar: Radio City Music Hall (New York), Teatro Abril (São Paulo), American Airlines Arena (Miami), Auditório Nacional (Cidade do México), Sala São Paulo (São Paulo), Sultan Pool (Jerusalém) e Massey Hall (Toronto).

Nahor Gomes

Nahor Gomes
Trompetista há 43 anos. Ocupa quatro grandes cadeiras da música brasileira como Primeiro Trompete: Banda Mantiqueira, Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Roberto Carlos e Nelson Ayres Big Band.
Gravações
Milton Nascimento – CD “Crooner”Rita Lee – CD “Rita Lee 2000”Caetano Veloso – CD “Livro” – vencedor do GrammyDaniela Mercury – CD “Feijão com Arroz”Elba Ramalho – “Elba ao vivo em Salvador”César Camargo Mariano – CD “Cesar Camargo Mariano”Ney Matogrosso – CD “Destino de aventureiro”Filó Machado – “Origens”Banda Savana – 2 cd’s internacionais “Brazilian Portraits” e “Brazilan Moviments”Rosa Passos – CD “Azul”Skank – “Garota nacional”Jota Quest – dois primeiros CD’sRoberto Carlos – CD e DVD “Pra sempre”Fábio Jr., Zizi Possi, Jorge Ben Jor, entre outros Os artistas que acompanhou em turnêsOs nacionais:Erasmo Carlos, Ney Matogrosso, Fabio Jr., Daniela Mercury, Elba Ramalho, César Camargo Mariano, Raul de Souza, Caetano Veloso, Rosa Passos, Ivan Lins, Toquinho, Dominguinhos, Rita Lee, TitãsE os internacionais:Bob Short,
Ray Conniff, Armando Manzanero, Fito Paez, Natalie ColeOs grupos que tocouPlaca Luminosa, llery Band, Banda Metalurgia, Banda Nuapaco – da baterista Vera Figueiredo, Banda Savana – do Maestro Branco, Banda 150 – Hotel Maksoud Plaza, Banda da Patroa – da pianista Silvia Góes, Re Bop – do baterista Bob Wyatt, Soundscape Big Band MusicaisWest Side Story, A Novica Rebelde, Gypsy, Bibi Ferreira, Shrek Trilhas para cinema Para os estúdios Maurício de Souza – Todos os longa metragens da Turma da Mônica, Boleiros, Festa, Menino Maluquinho 2, Até que a vida nos separe, Perfume de Gardênia, O PerfeitoEstranho, Cidade de Deus, VIP’S, Quincas Berro D’agua, FIEL, O FILME, O ano em que meus pais saíram de férias, Trash a esperança vem do lixo, O Alto da mentiraParticipou de três edições do Free Jazz Festival:Com Banda Mantiqueira, Brasil All Stars Big Band, Temptations Intensa atividade nos estúdios de gravação de jingles para publicidade, foi premiado como “Melhor intérprete” com a trilha “Sesc” produzida por Dudu Marote. Como produtor musical, criou e realizou o projeto “Jazz – Tributos” no Sesc Pinheiros, nomeado como o melhor projeto do ano de 2003 na rede Sesc.Membro votante do Grammy Academy Awards desde que da Banda Mantiqueira foi finalista do Grammy principal na categoria de “Latin Jazz Performance” com o CD “Aldeia” no ano de 1997.Novamente com a Banda Mantiqueira, o cd “Terra Amantiquira” (Selo Maritaca, 2006)ganha o Prêmio TIM de “Melhor Grupo Instrumental” por ser finalista do Grammy 2006.

Georgina Jackson

Bruno Soares

Bruno Soares
Iniciou seus estudos musicais em 1993 no piano com sua mãe a prof. Sílvia H. Zambonini Soares, dando continuidade no trompete em 1994 com seu pai o prof. Adalto Soares. Sua formação acadêmica incluí ULM, UNIMES (Licenciatura em Educação Musical) e Conservatório de Música de Tatuí onde formou-se em trompete popular e trompete erudito tendo como professores Cláudio Cambé, Oscarindo Roque, Paulo Ronqui e Gilberto Siqueira.
Foi 1o trompete solo da Orquestra de Metais Lyra Tatuí por 12 anos, lead trumpet no grupo Gaia Wilmer & Egberto Gismonti Big Band, Gian Corrêa Big Band, Vinícius Dorin Inn Big Band entre outros, já tendo se apresentado e gravado com vários artistas como Yamandú Costa, Gabriel Grossi, André Mehmari, Mestrinho, Bibi Ferreira, Ricardo Herz, Jaques Morelenbaum, Carlos Malta, Mauro Senise, Diego Garbin, Arismar do Espírito Santo, Edu Ribeiro, Proveta entre outros.
Atualmente é lead trumpet da Big Band do Hermeto Pascoal ganhador do 19o Grammy Latino em 2018 pela gravação do CD “Natureza Universal” e trompetista solo do Grupo Câmarnóva coordenado por Felipe Senna e Lea Freire.
Junto com Shay Soares é fundador da Adalto Brass e do Atelier de Metais.
Bruno e Shay Soares são idealizadores do projeto “Toca Aí, Brasil!”.

Sidmar Vieira

SIDMAR VIEIRA

Sidmar Vieira, nascido em São Paulo em 1986, começou tocar trompete aos 8 anos de idade, em 1997 ingressou na ULM (Universidade Livre de Música) aos 11 anos de idade, onde iniciou seus estudos de trompete clássico com o professor Edgar Batista. Aos 15 anos foi bolsista da Orquestra Sinfônica de Barueri, aos 17 anos iniciou seus estudos de trompete popular com o professor Daniel D’alcantara na EMESP.
Foi integrante da Orquestra Jovem Tom Jobim, acompanhou grandes ícones da MPB como, Rosa Passos, Fabiana Cozza, Jane Duboc, Adilson Godoy, Amilson Godoy, Jonny Alf, Duo Alemão e Jonas Sant’Anna, Alaíde Costa, Filó Machado, Mônica Salmaso, Margarete Menezes, Gilberto Gil, Zeca Baleiro, Luiz Melodia, Mart ́nália, Baby do Brasil, Paula Lima, Elba Ramalho, Daniel Taubkin , Max de Castro, Simoninha, Claudio Zoli, Maestro Roberto Sion, Raul de Souza, Bocato, Proveta, César Camargo Mariano, Ivan Lins, João Bosco, Pedro Mariano, Trio Corrente, Guilherme Vergueiro, Marcos Valle, Ed Motta, Alexandre Mihanovich, Gilson Peranzzetta, entre outros.
Tocou com importantes músicos da cena internacional como, Maria Schneider, Frank Sinatra Junior, Ohad Talmor, Greg Gisbert, Tim Hagans, Charlie Porter, Thomas Gansch, Sax Gordon, Tia Carroll, James Boogaloo, J.J Jackson, James Boogaloo, Donny Nichilo.
Lançou seu primeiro CD intitulado “Livre” em maio de 2014, vem se apresentando com seu projeto ” Madri Riviaes ” lançado em dezembro de 2016 e tambem com seu novo projeto Sidmar Vieira Quarteto; faz parte da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Soundscape big band, Reteté Big Band, Sidiel Vieira quinteto, Jorginho Neto
Collective, Deep Funk Session, The Preachers, Sensacional Orchestra Sonora.

Rubinho Antunes

RUBINHO ANTUNES

Trompetista, arranjador e compositor Rubinho Antunes é mestre em Musica pela Universidade Paris 8/FR. Estudou também no Conservatório de Tatuí/Br e na Universidade Estadual de Campinas/Br (UNICAMP), onde fez sua graduação.
Com grande atuação no meio musical brasileiro, Rubinho já tocou com importantes artistas, tais como Johnny Alf, Rosa Passos, Milton Nascimento, Paulinho da Viola, Marcos Valle, Guinga, Toquinho, Lenine, Criolo, Ivete Sangalo, Ney Matogrosso Banda Mantiqueira, Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo. Participou da versão Brasileira da Big Band da maestrina e compositora americana Maria Schneider.
Lidera, junto com o pianista Philippe Baden Powell, o quarteto Ludere, que tem 3 discos lançados (Ludere-2016, Retratos 2017 e Live at Bird’s eye-2019), e que frequentemente excursiona pelo Brasil e exterior.

Em 2018 lançou seu segundo disco “Expedições” pelo selo “Blaxtream”. Toca nas big bands de Hermeto Pascoal e Nelson Ayres. Como professor trabalhou no Conservatório de Tatuí, Instituto FITO de Osasco, Escola de Musica do Estado de São Paulo (EMESP), e no Club Du Choro de Paris. Atualmente dirige a Big da Santa, da faculdade Santa Marcelina.

Paulo Jordão

Paulo Jordão 

Aos 9 anos ingressou na EMESP (Escola de Música do Estado de SP), antiga ULM, onde teve sua formação musical. Estudou com renomados professores como: Edgar Batista (Capitão), Edmilson Soares, Marcelo Cotarelli, Daniel D’Alcantara, Roberto Sion (prática de big band) entre outros…  Atua no cenário musical de SP desde 2004, tendo como principal função de lead trumpet.

Participou de festivais nacionais e internacionais como; Savassi Festival (BR-BH), Buenos Aires Jazz Festival (AR), International Jazz Day (Asunción-PY), 45º Montreux Jazz Festival (Suíça), Jazz a La Calle (Uruguai), Lecionou na 36ª Oficina de Música de Curitiba. (Curso Trompete Popular). Participou de trabalhos com grandes artistas como; Gonzalo Rubalcaba (Cuba), João Bosco, Dominguinhos, Fabiana Cozza, Monica Salmaso, Guinga, Rosa Passos, Pedro Mariano, Nelson Ayres, Richard Bonna (CM) Fafá de Belém entre outros.

  Ministrou workshops no Jazz Trumpet Festival (SP) em 2014, 2016 e 2018. Pelo festival, participou de concertos com trompetistas internacionais como; Greg Gisbert, Byron Stripling, Yturvides Vilchez e Bobby Shew.. Atuou e atua em diversos grupos da música instrumental em SP, são eles: Banda Jazz Sinfônica de Diadema (lead trumpet) Banda Mantiqueira (músico substituto), Gian Corrêa Big Band, Orquestra Jazz Sinfônica de SP (músico substituto), Reteté Big Band (lead trumpet), Soundscape Big Band, Banda Lilian Carmona (lead trumpet) e  Noneto Re-Bop.

  Integrou em diversas peças de teatro musical em São Paulo. São elas: (Os Produtores) (West Side Story) (Les Miserábles) (A Noviça Rebelde)           (Hair Spray) (Cantando na Chuva)  (Jekyll & Hyde) (A Gaiola das Loucas)  (Wicked) (New York New York)(As Bruxas de Eastwick) (Hair) (A Pequena Sereia) (Hello Dolly) (O Homem de La Mancha) (Fame) (A Madrinha Embriagada) (Sunset Boulevard) (Zorro) 

Ingrid Jensen

Jessé Sadoc

Jessé Sadoc

Trompetista, arranjador e compositor carioca, Jessé Sadoc colaborou com inúmeros artistas da MPB como Djavan, Ed Motta, João Bosco, Marcos Valle, Chico Buarque, Caetano Veloso, Guinga, entre outros. Participou de centenas de gravações e conta com uma trajetória de shows e apresentações no Brasil e no exterior. Sadoc é também músico da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do RJ há 22 anos e membro do Art Metal Quinteto. Seu primeiro disco
solo “O som de casa” foi lançado em 2016.

Joatan Nascimento

JOATAN NASCIMENTO

Alagoano de nascimento, mas radicado em Salvador/BA desde 1987, o trompetista Joatan Nascimento vem construindo uma carreira diversificada no meio musical em que atua.
Tendo iniciado seus estudos musicais em Maceió com seu tio Edson Mendonça, estudou cavaquinho, saxofone, trombone e, finalmente, trompete.
Participou da banda de Música da escola Técnica Federal de Alagoas (1981 a 1986), sob a regência do lendário mestre Manuca (Manoel Leandro Simplício) e do maestro Ivanildo rafael, e da Banda Show, sob a regência do mestre Edson Rocha Ferro, seu professor de trompete, e a partir de 1982, iniciou a sua carreira como músico profissional aos treze anos de idade.
Embora iniciado no universo da música dita “popular”, seu espírito irrequieto o levou, também, a admirar e acolher as outras diversas músicas que lhe chegavam: música de concerto europeia, música de câmara, Jazz, música latina, e as diversas músicas brasileiras (algumas, sim, populares a exemplo do frevo, do carimbó e do baião, outras nem tanto assim, mas imprescindíveis para a definição do caráter plural do povo brasileiro, a exemplo da chamada MPB, do
Jazz brasileiro, também conhecido como Música Instrumental Brasileira e do Pop Rock).
Joatan, sempre atraído pelas sonoridades que lhe chegavam, nunca sentiu qualquer tipo de preconceito que lhe limitasse o acesso ao conhecimento intrínseco a qualquer uma delas. Desta forma, tocou com a Banda Raízes (banda de baile), e com a Big Banda Show, do maestro Ivanildo Rafael (além de tocar em grupo musical que tocava em casas noturnas – lidando com um repertório que incluía bossa nova, sambas, boleros, rumbas, fox-trot etc -, orquestras de frevo (1982 a 1987), e foi membro da Orquestra Filarmônica de Alagoas entre os anos de 1985 e 1987, atuando sob as regências dos maestros Armando Quezada(México) e Osvaldo Lupi (Uruguai).
Já em Salvador, para onde se mudou em 1987, teve contato com outra estética igualmente definidora do expressar de um povo: a música baiana deentretenimento ou música para o carnaval. De caráter plural, miscigenada e democrática, essa música lhe abriu horizontes importantes, capaz de lhe conferir um dinamismo em sua música capaz de lhe levar a trabalhar com grupos tão distintos como a Orquestra Sinfônica da Bahia (onde atuou como “free lancer” entre os anos de 1987 e 1988 e como membro regular a partir de 1989), o Bahia Ensemble, a Gafieira do Fred Dantas, a Rumbaiana, o Grupo Garagem, o Camaleon, o Jurassik Quartet e a Orkestra Rumpilezz, do Letieres Leite.

No mercado da música popular, trabalhou com artistas como Gerônimo, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Caetano Veloso, Gilberto Gil, dentre outros. Com a música instrumental brasileira, dividiu o palco com músicos como Raul de
Barros, maestro Duda, Paulo Moura, Raul de Souza, Márcio Montarroyos, Toninho Horta, Serginho Trombone, Léo Gandelman, Juarez Moreira, Leandro Braga, Gilson Peranzzetta, Mauro Senize, Paulinho Trompete, Teco Cardoso, Léa
Freire, Raul Mascarenhas, o Trio + 1 (juntamente com Sérgio Reze, Zeca Assumpcão e Benjamim Tubkin, com quem gravou um CD em 2007), dentre outros.
Com um CD solo gravado (Eu Choro Assim/2002) e participação em dezenas de outros, Joatan está em fase de finalização de dois álbuns solos (um de choro e outro de jazz brasileiro) que devem ser lançados ainda neste ano de
2020!
Joatan Nascimento é graduado em trompete pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde foi aluno do Prof. Horst Schwebel, instituição pela qual também obteve o grau de doutor em performance, onde foi orientado pelo Prof. Heinz Schwebel. Com vinte e oito anos dedicados à Educação, o trompetista é professor de Trompete, Improvisação e Percepção Musical, no Curso de Música Popular da Ufba. Também é membro do Quinteto de Metais da Ufba, grupo de  câmara residente nesta mesma instituição, com o qual gravou um álbum contendo suítes para quinteto de metais.

Walmir Gil

Mestre em música pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas, bacharel em trompete pela Faculdade Mozarteum Paulista. Ministrou oficinas de música, em várias oportunidades como; Festival de Inverno de Campos do Jordão – SP, Oficina de MPB de Curitiba – PR, Oficina de Bandas em Florianópolis – SC , Oficina de Bandas em Vitória – ES. Jazz Trumpet Festival JTF – SP, Oficina de Improvisação na Escola de Comunicação e Artes ECA/ USP, Festival de Musica de Ourinhos e Oficina de Improvisação na Universidade Estadual de Campinas. Integrante e fundador da Banda Mantiqueira (Nomeada ao Grammy 1997 CD Aldeia e Latin Grammy 2007 CD Terra Amantiquira e vencedora do premio Tim de Musica 2006 CD Terra Amantiquira). Gravou entre as cidades de Londres – UK e São Paulo – BR, dois CDs sólo; WALMIR GIL PASSAPORTE e WALMIR GIL NOVAS HISTÓRIAS. Atuou como sideman em diversas gravações bem como participações em Shows com; Cesar Camargo Mariano, João Bosco, Djavan, Fafá de Belém. Paquito D’Rivera,( junto a Banda Mantiqueira), Gonzalo Rubalcava, ( com a Mantiqueira) OSESP e Banda Mantiqueira com tres CDs gravados e um DVD, Roberto Carlos, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Orquestra Arte Viva entre outros. Atualmente é professor de trompete popular na Faculdade Mozarteum Paulista e na Escola do Auditório Ibirapuera Itau Cultural.