Classe de Saxofone

Lívio Almeida - Coordenador da Classe

O saxofonista e compositor brasileiro Livio Almeida foi vencedor do prêmio Internacional de Saxophone Victor Assis Brasil em 2015. Obteve bacharelado em Saxofone Erudito pela Universidade de Brasilia, especialização em Jazz Performance pelo City College of New York e é mestre em composição pelo Brooklyn College of New York. Lívio já tocou com grandes nomes da cena do jazz norte americano, como o pianista ganhador do GRAMMY, Arturo O’Farrill, Zack O’Farril, Adam O’Farrill, e das famosas orquestras Afro Latin Jazz Orchestra, Birdland Bigband e Eco-Music bigband, e nomes como Mike Holober, Ari Hoening, Jon Cowherd, Helio Alves, Romero Lubambo, Cidinho Teixeira, Jon Gordon, Nelson Angelo, dentre outros. Já tocou em palcos internacionalmente conhecidos como Carnegie Hall, Newport Jazz Festival, Los Angeles Central Avenue Jazz Festival, NY Winter Jazz Fest, Jazz Mobile e Carefusion Jazz Fest, Symphony Space, Birdland, Lincoln Center, The Iridium, Zinc Bar, Dizzy’s Coca Cola Club, entre outros, e frequentemente realiza tournes pela América do Norte e Sul, além de Europa. Lançou dois discos como líder, o primeiro: “Pieces”, em parceria com o guitarrista David Cordeiro. Seu último disco “Action and Reaction”, sob a produção de Arturo O’Farrill, recebeu vários elogios da crítica especializada. Lívio também dirige em NYC um ‘’decteto”, dedicado a música Brasileira para grupos grandes. Único do estilo em solo norte americano, com residência mensal no tradicional Zinc Bar em NYC, dentre outros clubes e festivais. Além de suas frequentes aparições em shows de renome internacional, Livio é considerado pela crítica uma das novas vozes do saxofone internacional, com um estilo distinto, solidificado pelo seu approach jazzístico moderno combinado à musica brasileira contemporânea. Lívio possui experiência docente como professor da Universidade de Brasília na cadeira de saxofone, além de ser parofessor adjunto de música no Brooklyn College of New York, e também ministrar palestras e workshops internacionalmente.

PROFESSORES

Ademir Junior

Destaque na música instrumental brasileira e mestre na improvisação, o multi-instrumentista, arranjador e compositor Ademir Junior está entre os melhores saxofonistas da atualidade. Aos 7 anos iniciou sua jornada musical com aulas de solfejo com seu pai, mas os estudos sérios começaram aos 10 anos quando entrou para a Banda do SESI de Ceilândia. Com pouco mais de 2 meses na clarineta, o Juninho já se apresentava com a Banda. Neste mesmo ano se tornou o solista da Banda do SESI e o pequeno prodígio fez sua primeira gravação num trabalho do cantor Oswaldo Montenegro. Determinado, completou em menos de 2 anos todas as lições do Klosé, método francês com mais de 600 páginas. Vencendo todas as barreiras técnicas do instrumento, foi indicado para ingressar na Universidade de Brasília com apenas 13 anos. Sem idade ainda para prestar o vestibular, finalizou o curso de clarineta como aluno de extensão com o professor Luiz Gonzaga Carneiro. Em 1993 conquistou a segunda colocação no concurso de jovens solistas em Piracicaba, São Paulo. Aos 18 anos Ademir decide estudar o saxofone. Autodidata, tem contribuído para a história do saxofone no Brasil popularizando as possibilidades técnicas do instrumento, sendo cada interpretação popular do saxofone uma extensão do seu conhecimento erudito. A desenvoltura técnica, melódica, amplo e moderno conhecimento harmônico e riqueza de possibilidades rítmicas propicia ao músico total controle da situação no palco. Faz do instrumento uma ponte para a comunicação com o público, desenvolve ideias simples e profundas. Em suas mãos o saxofone parece ser fácil. Há mais de 30 anos como profissional, o brasiliense emociona plateias e faz todos que o ouvem, se orgulharem em como esse músico representa a arte musical brasileira. Aclamado por grandes músicos da atualidade como um gênio musical. Foi o primeiro saxofonista brasileiro da música popular a ser artista da maior marca de saxofones no mundo, a Selmer Paris, e primeiro clarinetista do país a assinar com outra grande marca de boquilhas e acessórios, a Vandoren. Na clarineta dá continuidade ao legado deixado por Paulo Moura, mesclando a improvisação jazzística inserida nas riquezas da música brasileira e popularizando os valores do instrumento, se tornando uma referência para um incontável número de seguidores. Escritor do livro “Caminhos da Improvisação”, baseado em seu conhecimento e experiência em mais de 50 cursos lecionados no país. Lança este ano seu sétimo CD, “Espiral”, gravado com a Orquestra JK, em comemoração aos seus 30 anos de carreira. Seus outros álbuns são: “Gratidão” – 2002, “Vitória na Cruz” – 2007, “Brasilidades” lançado em 2009, com participação especial de Hermeto Pascoal, “Camaleão I” lançado em 2013 com participação do saxofonista Bob Mintzer – indicado ao Prêmio da Música Brasileira, “Camaleão II – Sensações” gravado em 2015 com ênfase em ritmos nordestinos e “O Brasil do Saxofone” com Ademir Junior e Baptiste Herbin, gravado em 2016 ao vivo no Clube do Choro após uma turnê na França pelo mesmo projeto. Em sua trajetória idealizou a Brasília Big Band, hoje intitulada “Orquestra JK”, formada por 18 músicos profissionais de Brasília. Participou do volume 124 da série de playbacks de Jamey Aebersold, onde o tema é musica brasileira, com 3 solos de clarineta como demonstração. Em Março de 2005 se apresentou com o Grupo Choro Livre no Festival de Culturas e civilizações dos povos do deserto em Dubai. Em 2005 idealizou o Curso de Improvisação como matéria do Curso Internacional de Verão de Brasília (CIVEBRA), na Escola de Música. Participa de cursos e festivais motivando e educando na arte e no conhecimento técnico da improvisação e como maestro de Big Band. Sua mente se aperfeiçoou em pensar cada momento musical como se tivesse horas para resolver situações que se desdobram em milésimos de segundos. Costuma colocar valores da Vida acima da Música e afirma que são nesses valores que se concentra nos momentos de improvisação. Foi condecorado com as seguintes comendas do Governo de Brasília por seus relevantes serviços prestados à Capital Federal: Ordem do Mérito Brasília, Ordem do Mérito Dom Pedro II, Defesa Civil, Mérito Buriti, Mérito Alvorada e Mérito Golden Phoenix da Polícia Federal, Mérito do Músico Militar, Medalha da Academia Brasileira de Artes, Cultura e História no grau de Maestro e Mérito da Policia Federal, Mérito Musical Anacleto de Medeiros pela Banda de Música do CBMDF. Já se apresentou e gravou com vários artistas, entre eles, Chris Potter, John Patitucci, Bob Mintzer, Paquito D’Rivera, Baptiste Herbin, Hermeto Pascoal, Mat’nalia, João Bosco, Roberto Menescal, Rosa Passos, Alexandre Pires, Elza Soares, João Donato, Ed Motta, Toninho Horta, Guinga, Arthur Maia, Idriss Boudrioua, Toninho Ferraguti, Jhonny Alf, Nico Assumpção, Lula Galvão, Alexandre Carvalho, Vitor Santos, Hamilton de Holanda, Grupo Solo Brasil etc. Atualmente é Artista Selmer e Vandoren, Maestro da Orquestra JK, Diretor Artístico da JK Produções Musicais, Diretor Cultural da International Police Association no Brasil e Músico da Banda do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal.

Alejandro Aviles

Alejandro Avilés é um cubano-americano de primeira geração e vem de uma longa linhagem de músicos. De fato, sua família está no Livro Guinness dos Recordes por possuir o mais longo e contínuo grupo musical do mundo. A Orquestra Hermanos Avilés foi criada pelo seu bisavô, Manuel Avilés, em 1882 em Holguin/Cuba e ainda hoje existe.

Sediado em Nova Iorque, Alejandro trabalha como professor adjunto na Hofstra University ensinando saxofone, história e improvisação do jazz, enquanto atua em gêneros que vão do “Straight Ahead” à música “Afro-Cubana”. Quando não está em turnê, pode-se encontrá-lo tocando em muitos dos mais renovados clubes de jazz de Nova Iorque como Smoke, Jazz Standard, Zinc Bar, Smalls, Dizzy’s Club Coca-Cola, Jazz Gallery, Iridium, Fat Cat, Birdland e Blue Note.

Alexa Tarantino

Alexa Tarantino é uma saxofonista premiada, jovem e vibrante. Multi instrumentista, compositora e educadora, Alexa recentemente foi apontada como “top 5 saxofonistas de 2019” pela revista Jazz Times. Seu primeiro album solo, Winds of Change, chegou ao 15o lugar na Jazz Week e 79o lugar das 100 melhores gravações de jazz de 2019 segundo a Jazz Week. Já tocou com Cecile McLorin Salvant Quintet, Cecile McLorin Salvant’s OGRESSE Ensemble, Ulysses Owens Jr.’s Generation Y, LSAT (quintet co-led with baritone saxophonist Lauren Sevian), Arturo O’Farrill & The Afro-Latin Jazz Orchestra, Sherrie Maricle & the DIVA Jazz Orchestra, the Alexa Tarantino Quartet. Alexa é artista do selo Posi-Tone. Alexa é professora do programa juvenil do Jazz at Lincoln Center e representa a organização em workshops e seminários. Alexa é formada em Jazz Saxofone e Licenciatura pelo Eastman School of Music e é mestre em Jazz Studies pela Juilliard School. Alexa também é a fudadora do Rockport Jazz Workshop em Rockport, Massachusetts, EUA.
Alexa Tarantino é Vandoren Artist e Yamaha Performing Artist.

Anderson Pessoa

Nascido em Brasília, Anderson Pessoa formou-se pela Universidade de Brasília bacharel em saxofone clássico. Apesar de nunca ter abandonado o seu lado erudito, foi no jazz e na música brasileira que Anderson Pessoa construiu sua carreira. Participou de diversos grupos importantes para a vida cultural de Brasília como Os Cachorros das Cachorras e o Quarteto de Saxofones Babando o Bambu, além de atuar em performances e gravações com grupos e artistas de renome com a Orquestra do Teatro Nacional Cláudio Santoro, Milton Nascimento, Renato Vasconcellos, Hamílton Pinheiro, Daniel Santiago, André Vasconcellos, Rogério Cetano, Bsb Disco Club entre outros. Atuou como músico, arranjador, compositor e educador em Brasília até 2007 quando embarcou para Louisville nos Estados unidos para fazer mestrado em jazz performance. Em Louisville, como professor-assistente dirigiu o Brazilian Ensemble, Combos, U of L Jazz String Quartet e o Jazz ensemble II. Como Professor Substituto assumiu em tempo integral o Jazz Ensemble II e as classes de Arranjo I e Arranjo II. Ainda nos Estados Unidos gravou com Terry O’Mahoney, Mike Tracy e com seu próprio grupo o Mixolegion, com o qual fez turnê de 9 apresentações em festivais de jazz na Rússia, além de ter composições suas gravadas por outros artistas como Mike Tracy e o pianista italiano Alessandro Logiri. Anderson Pessoa formou-se como “Outstanding Student” (Aluno destaque de todos os cursos.) da universidade no segundo semestre de 2009, sendo escolhido orador da formatura “Fall 2009”. Atualmente, Anderson Pessoa trabalha como professor da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte nas cadeiras de Saxofone e improvisação, e coordena um grupo de extensão e pesquisa em improvisação livre e o Ciclo de Jam Sessions. Gravou com seu novo Grupo, “Tem um Candango Lá em Casa”, formado por Airton Guimarães (baixo), Darlan Marley (Bateria) e Paulo Cesar PC (piano), um CD homônimo no qual registrou composições mais antigas que ainda não haviam sido gravadas. Recentemente participou como educador do Jazz Week da Universidade de Louisville e gravou nos Estados Unidos, um CD intitulado “Contrafacts”. Participaram do projeto músicos americanos e brasileiros, alunos e professores da Universidade de Louisville. Coordena os grupos de extensão universitária G.I.L. UFRN (Grupo de improvisação livre da UFRN) e o combo Jazz Pandemia.

Baptiste Harbin

Baptiste, natural de Chartres, aprendeu saxofone com Jean-Louis Mounier; e jazz com mestres como Lourau Julien, Jean-Jacques Ruhlmann e Jean-Charles Richard;e tem como referências Charlie Parker, John Coltrane, Cannonbal Adderley, Maceo Parker e Ornette Coleman. Outras de suas influências são os compositores clássicos Johann Sebastian Bach, Joseph Maurice Ravel e Ckaude Debussy.

Músico bastante solicitado para shows em países como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Itália, Suíça, Bélgica e Tailândia, Baptiste – que também é professor de saxofone – tem estado à frente de workshop sobre o instrumento. Esta é a segunda vez que ele faz show pelo LimonJazz. O projeto já recebeu, entre outros instrumentistas de renome internacional, Mark Rapp, Alexander Raichenok, Carlos Cardenas e os brasileiros Moisés Alves, Sidmar Vieira, Moisés Alves, Adil Silva e Marcos Santos.

Dave Pietro

Dave Pietro é um saxofonista em alta demanda, tendo viajando em turnês por mais de 30 países do mundo. Dave é membro da famosa orquestra de Maria Schneider e de importantes grupos como the Gil Evans Project e Darcy James Argue’s Secret Society e já gravou 7 discos com a Toshiko Akiyoshi Jazz Orchestra. Entre grupos importantes com que já tocou destacam-se Woody Herman, Lionel Hampton, Maynard Ferguson, The Village Vanguard Jazz Orchestra, John Fedchock, Mike Holober, Anita Brown, Pete McGuinness, Pedro Giraudo, Jim Widner e Arturo O’Farrill. Pietro já tocou com muitos artistas populares famosos como Paul Anka, Louis Bellson, Blood Sweat & Tears, David Bowie, Bobby Caldwell, Ray Charles, Rosemary Clooney, Harry Connick Jr., Michael Feinstein, Chaka Khan, Liza Minnelli, James Naughton e John Pizzarelli. Dave é formado em educação musical pela North Texas University e é mestre em Jazz Composition pela New York University, onde hoje ele trabalha como diretor do departamento de Jazz. Além de ser um dos saxofonistas de maior demanda internacional, Dave frequentemente ministra workshops pelo mundo e é artista D’Addario Woodwinds, Conn-Selmer Instrument Company e R.S. Berkeley Musical Instruments.

Eduardo Neves

Nascido em 1968 no Rio de Janeiro o flautista, saxofonista, compositor e arranjador é hoje um referência no sopro brasileiro. Dono de uma linguagem particular na improvisação, Edu Neves está presente em centenas de gravações a lado de grandes nomes da música como: Hamilton de Holanda, Maria Schnneider, Hermeto Pascoal, Guinga, Paulinho da Viola, Luiz Melodia, Maria Bethânia, Omara Portuondo, Milton Nascimento e Gilberto Gil – entre outros. Ministrou em 2011/2012/2013 wokshop sobre linguagens da música brasileira nas prestigiadas escolas Julliard (NY) e no Conservatório de Jazz da Califórnia (CJC). Fundador do Pagode Jazz Sardinha’s Club em 1998, gravou e produziu com este grupo 3 Cds – sendo o “Sardinhas -2004” eleito melhor grupo de Jazz no prêmio da música daquele ano. Em 2006 lança “Gafieira de Bolso” e em 2011 “Equador” – discos autorais onde se inspira no universo dançante da Lapa e da música Latina, respectivamente. Em 2016 grava “Baile do Almeidinha” – projeto de Hamilton de Holanda que acaba de completar 5 anos de atividade – e “Cosmopolita” em duo com Rogério Caetano no violão de sete cordas. Em 2017 recebe o Prêmio da Música na categoria “ Melhor Álbum de MPB” por produzir “Elza Canta e Chora Lupi”, com a obra de Lupicínio Rodrigues interpretada pela inigualável Elza Soares. Atualmente prepara um novo álbum em homenagem ao Rio de Janeiro e seu universo musical. Neste projeto, suas composições originais ladeiam alguns temas emblemáticos como Garota de Ipanema (Tom e Vinícius) e Tempo de Amor (Baden e Vinícius), contando com as participações especialíssimas de Zeca Pagodinho, Hamilton de Holanda , Seu Jorge e Raul de Souza.

Joe Lovano


Joe Lovano é um saxofonista, ganhador do Grammy e com 14 outras nomeações ao prêmio. Também venceu várias vezes o Dtulo de saxofonista e músico do ano pela DownBeat Magazine. Natural de Cleveland, Ohio, EUA, Lovano é formado pela Berklee College of Music, de onde recebeu um Doutorado Honoris Causa. Ele também leciona no departamento de música global da Berklee. Lovano já lançou 25 discos pelo selo da Blue Note e recentemente lançou seu úlTmo disco pela ECM Records, Trio Tapestry. Joe Lovano já tocou também com uma vasta lista de gigantes do jazz como Woody Herman, Mel Lewis, Bob Brookmeyer, Paul MoTan, Bill Frisell, Tony Benne[, Abbey Lincoln, Charlie Haden, John Scofield, Gunther Schuller, Elvin Jones, McCoy Tyner, Ed Blackwell, Herbie Hancock, Dave Holland, Hank Jones, Dave Liebman, Michael Brecker, Dave Douglas, Judi Silvano, Ravi Coltrane, Chucho Valdés, Orne[e Coleman e muitos outros. Joe Lovano conTnua a explorar novos horizontes no mundo da música como solista, líder e compositor.

Jon Gordon

Jon Gordon é um artista de renome internacional e um dos saxofonistas de maior sucesso e requisitados de sua geração. A revista Jazz Improv cita”Jon Gordon é um mestre, suas composições, improvisação, som e virtuosidade técnicas o distinguem como um músico de elite do seu tempo”. Jon já trabalhou com músicos do calibre de Kenny Barron, Ray Barretto, Tony Bennett, Bob Brookmeyer, Dave Brubeck, Benny Carter, Ron Carter, Bill Charlap, Harry Connick Jr., Roy Eldridge, Aretha Franklin, Al Grey, Chico Hamilton, Lionel

Hampton, Slide Hampton, Kevin Hays, Red Holloway, Dennis Irwin, Barney Kessel, Mike LeDonne, Mel Lewis, Eddie Locke, Ronnie Mathews, Christian McBride, Mulgrew Miller, Ben Monder, T.S. Monk, Lewis Nash, Joshua Redman, Red Rodney, Maria Schneider, John Scofield, Bruce Springsteen, Bill Stewart, Clark Terry, Mark Turner, Kenny Washington, Peter Washington, Kenny Wheeler and Joe Williams as well as the New York Pops Orchestra,

The Prism Saxophone Quartet, The Carolina Philharmonic, The Winnipeg
Symphony Orchestra and The Vanguard Jazz Orchestra. Já tocou em salas como Carnegie Hall, Lincoln Center, Dizzy’s, The Allen Room, Birdland, The
Ellington (Perth), The Kitano, The Hollywood Bowl, Red Rock, The Royal
Albert Hall, Oslo Koncerthus, The Village Vanguard, The Blue Note, Ronnie
Scott’s, Smalls, The Jazz Standard, The Sunset/Sunside, Vienna Birdland and
La Villa. Jon já liderou seu grupo em eventos como the Savannah Jazz Festival, Savannah Onstage, The Wolftrap Festival, The Playboy Jazz Festival, The Brecon Festival, The
Oslo Jazz Festival, The Ottawa Jazz Festival, e muitos outros.

Marcelo Coelho

O saxofonista e compositor Marcelo Coelho acumula extensa carreira nas qualidades de instrumentista, compositor, educador e pesquisador na área musical. Como educador, acumula passagens como educador em instituições nos EUA: Music Education Center, Weston, FL, Aukela Christian Academy, Hollywood, FL, e St. Bartholomew Catholic School, Miramar, FL. No Brasil, leciona na Faculdade de Música Souza Lima/Berklee College of Music onde também atua como coordenador do curso de Pós-Graduação em Processos Criativos em Música Popular: Composição, Arranjo e Improvisação. Como pesquisador, concluiu o pós-doutorado em composição pela USP, dando seqüência à carreira acadêmica que compreende também seu doutorado em composição pela UNICAMP, mestrado em Jazz Performance pela University of Miami, e bacharelado em Música Popular pela UNICAMP. Devido aos trabalhos de pesquisa sobre a utilização da polirritmia em composição e improvisação, Coelho desenvolveu um processo composicional e improvisacional denominado The Rhythmic Line Approach for Composing and Improvising. Este trabalho, editado e lançado pela Editora FAMES com o título ‘Suite I Juca Pirama: criação de um sistema composicional a partir da adequação da polirritmia de José Eduardo Gramani ao jazz modal de Ron Miller”, já foi apresentado em diversos encontros e congressos internacionais de jazz nos EUA, Europa e América do Sul, dentre eles o IASJ​– International Association of School of Jazz- e IRSA​– International Rhythmic Studies Association – que fundou junto ao contrabaixista irlandês Ronan Guilfoyle. Como instrumentista, Marcelo Coelho já atuou ao lado de importantes músicos de jazz: David Liebman, Bob Mintzer, Didier Lockwood, Phil Markowitz, Gene Perla, Rick Peckham, Ed Sarah, Ronan Guilfoyle, Vincent Gardner, Ron Miller, Phil DeGreg, Cliff Korman e outros. Dentre os músicos brasileiros estão Hermeto Pascoal, Guinga, Caetano Veloso, Sizão Machado, Sérgio Barroso, Naylor Proveta, Célio Barros e outros. Coelho tem atuado extensivamente com os seus projetos musicais: David Liebman-Guinga-Coelho Trio; Duo Guinga & Marcelo Coelho; MC4+ (cd ‘Colagens)’; MC&RD 4teto em colaboração com o saxofonista argentino Rodrigo Dominguez (cd ‘Paralelas’); Un-X-Pected Brazilian Project em colaboração com músicos de jazz da Escandinávia (cd ‘Unite’); Projeto Paris/São Paulo I e II em colaboração com músicos franceses, dentre eles Didier Lockwood (cd ‘Paris/São Paulo’), todos trabalhos musicais contemporâneos onde se destacam as composições originais e as improvisações coletivas. Com produção do premiado instrumentista e produtor Celio Barros, produziu dois discos de saxofone solo, sem nenhum acompanhamento, trabalho de caráter experimental que tem chamado a atenção da crítica, músicos e público em geral. No universo da música erudita, Coelho fez duas estreias como solista em concertos sinfônicos. Em 2013, o ‘Concerto para Saxofone Soprano e Orquestra’ do premiado compositor Liduino Pitombeira, junto à Orquestra Sinfônica do ES sob a regência do maestro Roberto Duarte. Em 2015, o concerto ‘Nebulae’ da compositora Patrícia de Carli, com a orquestra Sinfônica de São José dos Campos sob a regência do maestro Marcello Stasi, na Sala São Paulo.

Mike Tracy

A veritable “Ambassador of Jazz,” Professor Michael Tracy is one of America’s foremost jazz educators, with more than forty-five years of performing and teaching experience. In classrooms, studios, and concert halls, he has developed a variety of innovative approaches to jazz education, enabling him to work with students of any proficiency. Tracy has taught and performed throughout the United States, Argentina, Australia, Belize, Brazil, Canada, China, Colombia, Costa Rica, Cuba, Denmark, Ecuador, Estonia, Finland, Germany, Great Britain, Italy, Japan, New Zealand, Peru, Poland, Republic of Georgia, Russia, Scotland, Singapore, and Wales. As a Fulbright Senior Specialist, he worked with and advised the jazz programs at the Estonian Music Academy in Tallinn, Estonia (2014), the Tbilisi State Conservatoire in Tbilisi, Georgia (2016) and Universidad de las Américas in Quito, Ecuador (2018-19).

Professor Tracy is Director of the Jamey Aebersold Jazz Studies Program at the University of Louisville School of Music in Louisville, Kentucky. He teaches jazz saxophone, jazz repertoire and numerous ensembles. In addition to his duties at the University, he is a longtime faculty member of the widely renowned Jamey Aebersold Summer Jazz Workshops, where he has served for over forty-two years. Tracy has also made forays into the worlds of recording with seven CDs to his credit – Fotografia (2019), Hora Certa (2016), Surfboard (2012), Wingspan (2010), Conversations (2008), Gusting (2004), Tracings (2003) and Facets (1999). An eighth CD of Brazilian jazz originals and arrangements will be released in 2019. Tracy’s publishing accomplishments include authoring the books Jazz Piano Voicings for the Non-pianist, co-authoring Pocket Changes: 421 Standard Chord Progressions and Pocket Changes II, 381 Standard Chord Progressions and Jazz Saxophone Survey: A Descriptive Analysis of 38 Saxophonists.

Professor Tracy holds a Master’s of Arts in Higher Education and Bachelor’s of Music Performance and Music Education degrees from the University of Louisville.

Michael Tracy is a Yamaha Artist, D’Addario Artist playing exclusively on D’Addario Jazz Select Reeds and Friend of Bambú (ligature). For additional information please visit www.michaeltracy.com.