Classe de Piano

André Marques - Coordenador da Classe

Pianista, compositor e arranjador, André Marques faz parte do grupo de Hermeto Pascoal desde 1994. Com ele, excursionou por todo o mundo, participou dos mais importantes Festivais de Jazz e teve sua atuação comentada em jornais como “The New York Times”(EUA) e “The Guardian”(Inglaterra), entre outros. Em homenagem a Hermeto, André está realizando um projeto de gravação de 4 CDs com grandes nomes da música mundial. O primeiro foi gravado em 2014 e lançado em 2015, pelo selo Borandá, com John Patitucci no baixo e Brian Blade na bateria (Em julho de 2015, fez um show de lançamento em Buenos Aires dentro do Festival Piano Piano, com Clarence Penn na bateria). Fora o seu trabalho com Hermeto, André já tem uma sólida carreira através de várias formações musicais que já lhe renderam um total de 18 CDs gravados. É integrante do Trio Curupira, André Marques Sexteto e líder da orquestra de música instrumental brasileira Vintena Brasileira. Nascido em São Paulo e residente na cidade de Sorocaba-SP desde 2002, iniciou-se na música aos onze anos. Dentre outros lugares, estudou no CLAM, onde teve aulas com Amilton Godoy (pianista do Zimbo Trio). Com o Trio Curupira já tem 5 CDs lançados e realizou shows pelo Brasil, Argentina, EUA e Europa, tendo como destaque a última edição do lendário Free Jazz Festival, em 2001, e o Rock in Rio edição Lisboa, em 2004. O seu terceiro CD “Pés no Brasil, cabeça no mundo” também foi lançado na Argentina, pelo selo MDR Records, lançamento que foi marcado em 2008 por uma turnê em 12 cidades daquele país, com muita repercussão da imprensa local. O CD obteve uma indicação para o Grammy Latino desse mesmo ano e para o Prêmio de Música Brasileira de 2009 (antigo Prêmio TIM). Com o André Marques Sexteto, aprofundou ainda mais a sua pesquisa sobre os ritmos brasileiros e participou de importantes festivais pelo Brasil e América do Sul. Já tem 3 CDs gravados com essa formação e lançou um método chamado: “Linguagem Rítmica e Melódica dos Ritmos Brasileiros – vol.1”. Como arranjador, destacam-se seus trabalhos nos projetos “Obra Viva – Homenagem a Tom Jobim” e “Trilhando”, ambos realizados pelo SESC Pompéia (São Paulo – SP), nos quais fez a direção musical e todos os arranjos que tiveram como intérpretes Danilo Caymmi, Rosa Passos, Elza Soares, Thalma de Freitas, Nelson Ayres, Simoninha, Fafá de Belém, entre outros. Em 2012, também como arranjador, foi vencedor do I Festival “Ars Brasilis”, que premiava os melhores arranjos instrumentais de músicas de Milton Nascimento para Big Bands. Em 2010 foi convidado para uma participação como solista da Orquestra a Base de Cordas de Curitiba, tocando músicas de sua autoria e de Hermeto Pascoal. Em 2017 dirigiu a Hermeto Pascoal Big Band na gravação de seu primeiro CD, que teve a direção musical geral do próprio Hermeto. Como professor, dirige o Centro de Vivência da Música Universal (CEVIMU) e leciona no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí-SP e na Faculdade Souza Lima, em São Paulo – SP, além de ministrar diversas oficinas musicais (Mendoza – Argentina, São Paulo – SESC Vila Mariana, Curitiba, Ouro Preto, Itajaí, Jericoacoara, Joinville, Maringá, Tatuí, Bauru, Florianópolis, Ubatuba, Botucatu, S. José do Rio Preto, Barra Grande, entre outras).  De uma dessas oficinas nasceu a Vintena Brasileira, uma orquestra de vinte e um músicos e que possui 3 CDs lançados. Também lançou, em 2008, seu primeiro CD de piano solo, intitulado “SOLO”. André Marques teve participações ao lado de grandes nomes da música como Hermeto Pascoal e grupo, John Patitucci, Brian Blade, Ari Hoenig, Clarence Penn, Adonis Rose, Hamílton de Holanda, Natan Marques, Arismar do Espírito Santo, Jane Duboc, Luciana Souza, Mônica Salmaso, Sérgio Santos, Roberto Sion, Gabriel Grossi, Daniel Santiago, Thiago do Espírito Santo, Ithamara Koorax, Arrigo Barnabé, Danilo Caymmi, Yamandú Costa, Toninho Ferragutti, Lea Freire, Daniel D’Alcântara, Izabel Padovani, Dominguinhos, Kiko Freitas, Heraldo do Monte, Marcos Lobo, Carlos Malta, Elza Soares, Renato Teixeira, Nenê, Tiki Cantero, Marcos Archetti, Hernán Jacinto, Célio Barros, Mestre Salustiano, entre outros.

PROFESSORES

Amilton Godoy

Amilton Godoy nasceu em Bauru (S. Paulo). Participou e venceu importantes concursos de piano a longo de sua carreira. Com Rubens Barsotti (bateria) e Luiz Chaves (baixo), participou da formação, em 1964, do hoje histórico Zimbo Trio, grupo que gravou 51 discos e aonde apresentou-se em mais de 40 países. Hoje segue o ZIMBO TRIO (49 anos) como AMILTON GODOY TRIO onde lançou em setembro de 2013 o CD AUTORAL 1 e em 2019 lançou do novo CD Amilton Godoy Trio – Tributo ao Zimbo trio que segue em turnê.

 Como maestro e arranjador, produziu diversos álbuns, entre eles dos da coleção Piano Solo Compositores Brasileiros. Como solista, é considerado um dos maiores pianistas do mundo e atuou como convidado de orquestras regidas por maestros como Júlio Medaglia, Chiquinho de Moraes e Simon Bleche e me 2019 do maestro Tiago Costa ao lado da Orquestra Jovem Tom Jobim.

 Em 1973, com Barsotti e Chaves e o baterista João Ariza, fundou, em S. Paulo, uma das mais importantes escolas de música do Brasil, que já formou mais de 30 mil alunos, o CLAM (Centro Livre de Aprendizagem Musical aonde hoje é único diretor e responsável de uma extensa metodologia musical com dezenas de métodos editados.Em 2012  gravou ao lado do jovem gaitista Gabriel Grossi o CD “Villa Lobos Popular” e em novembro de 2013 lançou ao lado da Flautista Lea Freire o CD “Amilton Godoy e a música de Lea Freire”  como músicas de Lea Freire, e em 2017 lançou, novamente ao lado de Lea Freire, o CD “ A Mil Tons” , agora com composições de Amilton Godoy. Com esses CD o DUO fez 3 turnes internacionais, em 2017 (setembro), 2018(agosto) e 2019 (agosto) em 4 estados dos EUA (Califórnia, Oregon, Washington e Florida). Na turnê de 2018 , o DUO gravou um CD nos EUA junto com o Saxofonista Harvey Wainapel que seguiu em lançamento nos EUA em agosto de 2019.

Em 2017 Amilton também seguiu em Turne no CHILE com o músicos Alejandro Espinosa e Christan Gálvez. E seguiu turnê em Janeiro de 2019.

Também em 2017, Amilton seguiu com Marcel Powell , filho de Baden Powell, em turnê pela Caixa Cultural de Salvador , fazendo uma homenagem ao mestre Baden, com a Participação de Fabiana Cozza. O projeto segue em 2018 , também pela Caixa Cultural, em Curitiba em Setembro de 2018.

Em 2018, Amilton ganhou o Edital do BNDES para prestar sua homenagem ao Mestre Jacob do Bandolin em parceria com Gabriel Grossi e Fabio Peron.

Em 2019 gravou o CD Tributo ao Zimbo Trio, ao lado dos músicos Sidiel Vieira e Edu Ribeiro onde segue fazendo seu lançamento , oficialmente em Março no Itau Cultural e no BLUE NOTE em Abril.

Com esse trio em 2019 realizou diversos shows em SESC e Festivais pelo país. Também em 2019, foi convidado para fazer parte do TRIO de João Parahyba, Trio Mocotó, para fazer parte se sua comemoração de 50 anos de carreira.

Esteve ao lado da Orquestra Jovem Tom Jobim como solista em um show com a regência do Maestro Tiago Costa.

Em 2020 segue em turnê do novo trabalho com Trio e shows ao lado de Gabriel Grossi.

 

Duo Gisbranco

Formado pelas pianistas Bianca Gismonti e Claudia Castelo Branco, o Duo Gisbranco desenvolve um trabalho inovador que explora ao máximo a sonoridade de dois pianos na mpb. Lançaram ao longo de 15 anos de carreira os CDs “Gisbranco”, “Flor de Abril”, “Pássaros” e o DVD “Dez anos”. Já se apresentaram em diversos países como Holanda, Suíça, França, Espanha, Portugal, Irlanda, Canadá, Turquia, além dos mais importantes palcos do Brasil. Dividiram o palco com MPB4, Chico Cesar, Jaques Morelenbaum, Monica Salmaso, Sérgio Santos, entre outros.

Edson Sant'anna

Natural de Joinville (S.C), Edson Sant’anna estudou piano popular com Evaldo Soares, piano erudito na Escola Municipal de Música de São Paulo, formando-se na classe da professora Marisa Lacorte. Estudou composição com Almeida Prado. Vem desenvolvendo intensa atividade de pesquisa, ensino e performance relacionando o piano à improvisação, no contexto da música popular (jazz e música instrumental brasileira) e também na área de composição. Já foi professor convidado do Festival de Música de Londrina(P.R) por dois anos, festival de Inverno de Domingos Martins (E.S – 2014 e 2015).Participou do projeto “O Piano Brasileiro” na Casa do Núcleo, “Gig Nova” Segunda edição (2017) e da “II Semana do Piano EMESP”(2018). Foi professor do festival de música de Itajaí em 2019 e participou do festival “Pianístico – Todos os pianos do mundo” (Joinville -SC), além de lecionar vários anos consecutivos no Graded School Jazz Festival(S.P). A partir de 2017 passou a integrar a equipe docente do departamento de música popular do bacharelado em música na faculdade Cantareira. Como pianista convidado já participou de inúmeros shows e gravações, acompanhando artistas da MPB e grupos de música instrumental, além de participar de festivais de música no Brasil e no exterior. Atualmente é integrante do Trio Ciclos, Soundscape Big Band, Daniel d’Alcantara quinteto e Bob Wyatt quarteto. Em outubro de 2018 lançou o seu primeiro CD intitulado “Bopville”, onde presta uma homenagem à alguns períodos e pianistas do Jazz que mais o influenciaram, como Thelonious Monk, Bud Powell, Cedar Walton e Oscar Peterson. O disco procura recriar o ambiente de improvisação das gravações que eram realizadas ao vivo na formação de quinteto de Bebop e Hardbop. Contando para isso com um time de músicos formado por alguns dos melhores instrumentistas e improvisasdores do gênero na atualidade, com Daniel D’Alcantara no trumpet, Wilson Teixeira no Sax Tenor, Thiago Alves no contrabaixo acústico e Bob Wyatt na bateria. Edson Sant’anna é um dos professores juntamente com o pianista Felipe Silveira, do Piano Talks, uma plataforma digital de ensino e conteúdo sobre piano popular. Em 2020 passa a também a ministrar aulas no curso de piano popular da faculdade Souza Lima. Edson Sant’anna é Bacharel em composição pela USP (Universidade de São Paulo) e está concluindo o seu mestrado nessa mesma instituição, com foco de estudo sobre a improvisação como ferramenta no processo composicional.

Felipe Silveira

Felipe Silveira, pianista e intérprete, professor, arranjador e compositor, natural de Campinas – SP, nasceu em 1987. Músico profissional há mais de 15 anos, estudou música popular com Jaime Barbosa. Neste curto período já adquiriu vasta experiência tocando ao lado de músicos experientes como: Hector Costita, Lito Robledo, Fernando Merlino, Thiago do Espírito Santo, Teco Cardoso, Toninho Ferragutti, Bruno Mangueira, Michel Leme, Cuca Teixeira, Idriss Boudrioua, Daniel D’Alcântara, Ademir Júnior, Phil DeGreg, Wilson Teixeira, Walmir Gil, Bob Wyatt, Michael Waldrop, David Spencer, Enéias Xavier, Vinicius Dorin, Djalma Lima, Natan Marques, Harvey Wainapel, Celso de Almeida, Sizão Machado, Marcus Teixeira, entre outros. Acompanhou vários intérpretes como Juliana Caymmi, Danilo Caymmi, Fátima Guedes, Adyel Silva, Dina Blade, Myrthes Aguiar, Claudio Nucci, Célia, Vírginia Rosa, Filipe Cato, entre outros. Como produtor trabalhou no disco Do outro lado do mar, de João Alexandre, que contou com participações de Abraham Laboriel, Julio Figueroa, Rique Pantoja, Michel Leme, Hélio Delmiro, Leonardo Gonçalves, Rildo Hora, entre outros. Possui um disco lançado em 2011 com composições próprias voltadas para a vertente de canções brasileiras. O trabalho é de sua produção com a participação de Sidiel Vieira (baixo acústico), Osmário Marinho (bateria), João Alexandre (voz e violão), Tirza Silveira (voz), Bruno Mangueira (guitarra) e Ademir Júnior (sax). Além de ser integrante fixo da banda de seu pai, o respeitado arranjador, violonista e intérprete João Alexandre, participa atualmente em vários projetos musicais:

Hercules Gomes

Considerado um dos mais representativos pianistas brasileiros da atualidade, Hercules Gomes se destaca pelas fortes influências de ritmos brasileiros, jazz e da música erudita presentes em seu estilo. Natural de Vitória (ES) e radicado em São Paulo, Hercules é bacharel em música pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Já se apresentou em alguns dos mais importantes festivais de música no Brasil e no exterior como o Festival Piano, Piano (Buenos Aires, Argentina); o Festival Internacional Jazz Plaza (Havana, Cuba); o Brazilian Music Institute (Miami, EUA), o Festival de Inverno de Campos do Jordão (São Paulo, Brasil); e o Savassi Festival (Belo Horizonte, Brasil). No Brasil foi vencedor do 11o Prêmio Nabor Pires de Camargo e do I Prêmio MIMO Instrumental. Em 2015 participou do projeto Gravação dos Concertos Cariocas de Radamés Gnattali no qual interpretou o Concerto Carioca no 2 com a Orquestra Sinfônica de Campinas. Em 2013 lançou seu primeiro trabalho solo intitulado “Pianismo” com composições próprias e arranjos que trazem fotografias panorâmicas do piano brasileiro e em 2018 lançou seu segundo álbum: “No tempo da Chiquinha” em comemoração aos 170 anos da pianista e compositora Chiquinha Gonzaga. E em 2020 lança o álbum “Tia Amélia para Sempre” em homenagem à Amélia Brandão Nery, a Tia Amélia.

Silvia Goes

Silvia Goes nasceu em 1947, em São Paulo. Tornou-se profissional aos 11 anos, tocando violão. Aos 20 teve a oportunidade de trabalhar como arranjadora na TV Tupi. Aos 27 se encantou pelo piano, instrumento que segue até hoje. Silvia, nesses 60 anos de atividade musical, gravou 9 CD’s, lançou 8 livros – entre eles “O Cérebro Musical”, “A Música no Divã” e o mais recente “Ser Músico – Pequeno Manual Prático”. Ministra cursos e palestras motivacionais sobre o “Desenvolvimento Humano Através Da Harmonia Musical”.

Salomão Soares

Salomão foi o vencedor do MIMO Instrumental Award 2017 e finalista do concurso de piano Montreux Jazz Festival 2017.
Nascido e criado no interior da Paraíba, o pianista e arranjador que mora na cidade de São Paulo, apesar de seus 30 anos, carrega uma vasta experiência em suas criações musicais. Ele dividiu o palco ao lado de alguns nomes notáveis da música brasileira, como Hermeto Pascoal, Filó Machado, Toninho Horta, Camille Bertault, Vinicius Dorin, Lea Freire e Toninho Ferragutti.