Classe de Flauta

Aline Gonçalves - Coordenadora da Classe

Flautista, clarinetista, arranjadora e compositora, Aline é bacharel em flauta pela UNIRIO, licenciada em musica pela UFRJ e especialista em educação musical pelo CBM. Foi integrante fundadora da Itiberê Orquestra Família e em 2002 gravou duas faixas no disco Mundo Verde Esperança de Hermeto Pascoal e Grupo. De 2005 a 2007 viveu no Chile, onde desenvolveu grande intimidade com a música latino-americana e lançou o premido disco verdevioleta – creaciones sobre música de violeta parra. Desde 2017 faz parte do coletivo Essa Mulher, dedicado ao fomento da produção musical feminina no Rio de Janeiro. Atualmente faz parte do grupo El Efecto e está lançando Pacífico, seu primeiro álbum autoral.

PROFESSORES

Alexandre Rodrigues

Alexandre Rodrigues de Lima é multi-instrumentista, compositor, educador musical e Luther de pífanos. Iniciou seus estudos musicais na Banda 1o de Maio de Itapissuma-PE no ano de 2002. Foi aluno do Curso Técnico em música pelo antigo Centro de Criatividade Musical do Recife, Graduado em Música no Curso de Licenciatura em Música com Habilitação em Clarinete pelo Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco, IFPE-campus Belo Jardim, Cursando Bacharelado em saxofone na UFPB, Pós graduando em praticas interpretativas do frevo pelo IFPE-campus Recife. É integrante e atua em vários grupos como Alexandre Rodrigues e Pife Urbano, Orquestra Popular do Recife (maestro Ademir Araújo), Transversal Frevo Orquestra, Orquestra Malassombro, Silvério Pessoa e Claudio Rabeca. Já dividiu o palco com diversos artistas de relevância nacional e internacional como Wilson das Neves, Mariane Castro, Geraldo Azevedo, Elba Ramalho, Zélia Duncan Fabiana Cozza, Nicolas Krassik, Ivan Vilela, Bule Bule, Claudio Rabeca, Nailor Proveta, Siba, Mauricio Carrilho, Marcel Powell, Maestro Ademir Araújo, Bozó Sete Cordas, Beto do Bandolim, Edson Rodrigues, Guinga, Alaíde Costa, Fred Andrade, Aurea Martins, Silvério Pessoa, outros. Ganhou em 1° lugar no festival nacional do frevo no ano 2019 na categoria frevo livre autoral com a música Sebastião Biano no Frevo interpretado por Alexandre Rodrigues e Pife Urbano, atuou como saxofonista e clarinete do DVD da banda Fulô de Mandacaru In Concert, semifinalista do festival nacional do frevo 2018, Participou de diversos Festivais como o Recife Jazz II 2009, Festival de Inverno de Garanhuns entre os anos de 2008 a 2019, participou do encontro de Orquestras Populares de Brasília-DF em 2015, Semana seu Geraldo de Música 2012 a 2015, Participou do lançamento do disco saxofone brasileiro vol.2 de Nailor Proveta em Leme-SP, Circuito pernambucano de Choro, turnê Claudio Rabeca, turnê Trio Pouca Chinfra, Participou como convidado do concerto do renomado violonista e compositor Guinga no CPM, VII Mostra Leão do Norte pelo SESC-PE, turnê Nordeste com maestro Ademir Araújo e Orquestra Popular do Recife, MIMO. Atuou em diversas gravações com alguns músicos e artistas como o maestro Edson Rodrigues CD Ativismo, Bloco da saudade CD 35 anos, 40 anos e 45 anos, Maestro Ademir Araújo um erudito popular e mestre de Banda, Alceu Valença, Cláudio Rabeca (Rabeca Brasileira), Fafá de Belém, Chico Bezerra, Dominguinhos, Fred Andrade, Beto do Bandolim, Noise Viola, Truvinca no quintal lá de casa e Rabequeiros de Pernambuco e outros.

Diego Cortez

Flautista, cantante, compositor. Comienza su carrera artística a los 12 años. Desde pequeño se desempeñó como actor en una compañía de teatro viajando por Argentina. Durante esa experiencia comienza a tocar instrumentos de vientos y a cantar.

Luego de estudiar flauta con el reconocido flautista Lars Nilsson de Suecia, se gradúa en la Universidad de Cuyo en Mendoza obteniendo dos títulos universitarios:

  • Licenciado en música popular latinoamericana con orientación en vientos.
  • Licenciado en flauta: Música clásica.

Durante este periodo se perfecciona con reconocidos docentes de distintas partes del mundo y comienza un profundo trabajo de investigación sobre el rol de la flauta en la música latinoamericana.

Ha participado en grabaciones de destacados artistas como en el disco “Piel y Barro” de Juan Sebastian Garay (en el tema “La Media Luna” junto a Mercedes Sosa), “Enobra” del grupo Duratierra y “Raíz” Soledad Pastorutti, Lila Downs y Niña Pastori, “Vivir es hoy” de Soledad Pastorutti y “Primavera” de Nahuel Pennisi.

En 2012 edita su primer disco solista Vientito Criollo, luego de un premio otorgado por el Fondo Nacional de la Artes.

En 2013 crea Embichadero junto al percusionista Jonatan Szer y lanzan su primer álbum Latente en 2014. Con este dúo han realizado presentaciones en diferentes provincias argentinas y dos giras por Europa brindando conciertos en Suecia, Alemania, Holanda, Francia, Suiza, España, República Checa, Bélgica y Portugal.

En 2015 produce el disco Córdoba al oeste, con composiciones del poeta cordobés Ramón Amaury Cortez.

En 2016 realiza una residencia artística en Musiberia, Portugal donde graba su segundo disco solista Luna de Pueblo con composiciones propias.  

Desde 2013 es profesor de flauta en la Licenciatura en Música Popular, Universidad de Villa María, Córdoba, Argentina.

Como docente ha brindado workshops de Música Latinoamericana en reconocidas instituciones en Argentina y Europa como: Conservatorio de Bahía Blanca, Conservatorio Félix Garzón de Córdoba, Universidad Nacional de Cuyo,  CODARTS (Escuela de World Music, Rotterdam, Holanda), Conservatorio ESMAE (Porto, Portugal), Conservatorio de Coimbra (Portugal), Kulturskola de Katrineholm (Suecia),  Academia de música de Boitsfort (Bruselas, Bélgica), Conservatorio de Pammiers (Francia).                           

Dudu Oliveira

Eduardo Coelho de Oliveira, ou melhor, Dudu Oliveira é um músico natural do Rio de Janeiro, multinstrumentista, que atua em diversos áreas da cena musical. Tem um destaque especial na flauta, além de tocar outros instrumentos muito bem, como Saxofones, Cavaco, Bandolim, Violão de 6 e 7 cordas e diversos instrumentos de percussão.

Filho de músico chorão, iniciou seus estudos na música aos 12 anos com o cavaco, em seguida o violão, o bandolim e ao mesmo tempo, a flauta. Porém, o som da flauta de Altamiro Carrilho era tão poderoso, que inspirou Dudu ao máximo criando um entendimento especial com o instrumento, que o tem como destaque.

Já percorreu 11 países do mundo levando sua música que conta com influências de todos os cantos, alem daquela pitada bem especial brasileira.

Dudu Oliveira tocou com diversos artístas de fama do cenario músical do Brasil como Alcione, Joelma, Roberta Sá, Diogo Nogueira, Martinho da Vila entre outros.

Participou dos musicais “Ópera do Malandro”, com direção de João Falcão, e “Gota d’água – a seco”, ambos de Chico  Buarque de Holanda. E integrou o elenco do musical francês “K-RIO-K” de Rémy Kolpa Kopoul que fez temporada em Paris.

Atua no cenário instrumental, principalmente como flautista e saxofonista, tocando sua música que chama atenção por seu virtuosismo nas interpretações.

Dudu também faz parte da banda do pragrama Lady Night – apresentado pela atriz e humorista Tatá Werneck no canal multishow – e já tocou com vários artístas, dentre eles Claudia Leite, Sandy, Maria Gadu, Anita, Daniel, Marcos e Belluti, Zezé di Camargo e Luciano e por aí vai…

Lança em 2017 seu primeiro album, “Jamming”, com participações especiais de Gabriel Grossi, Eduardo Neves e Silvério Pontes.

Eduardo Neves

Nascido em 1968 no Rio de Janeiro o flautista, saxofonista, compositor e arranjador é hoje um referência no sopro brasileiro. Dono de uma linguagem particular na improvisação, Edu Neves está presente em centenas de gravações a lado de grandes nomes da música como: Hamilton de Holanda, Maria Schnneider, Hermeto Pascoal, Guinga, Paulinho da Viola, Luiz Melodia, Maria Bethânia, Omara Portuondo, Milton Nascimento e Gilberto Gil – entre outros. Ministrou em 2011/2012/2013 wokshop sobre linguagens da música brasileira nas prestigiadas escolas Julliard (NY) e no Conservatório de Jazz da Califórnia (CJC). Fundador do Pagode Jazz Sardinha’s Club em 1998, gravou e produziu com este grupo 3 Cds – sendo o “Sardinhas -2004” eleito melhor grupo de Jazz no prêmio da música daquele ano. Em 2006 lança “Gafieira de Bolso” e em 2011 “Equador” – discos autorais onde se inspira no universo dançante da Lapa e da música Latina, respectivamente. Em 2016 grava “Baile do Almeidinha” – projeto de Hamilton de Holanda que acaba de completar 5 anos de atividade – e “Cosmopolita” em duo com Rogério Caetano no violão de sete cordas. Em 2017 recebe o Prêmio da Música na categoria “ Melhor Álbum de MPB” por produzir “Elza Canta e Chora Lupi”, com a obra de Lupicínio Rodrigues interpretada pela inigualável Elza Soares. Atualmente prepara um novo álbum em homenagem ao Rio de Janeiro e seu universo musical. Neste projeto, suas composições originais ladeiam alguns temas emblemáticos como Garota de Ipanema (Tom e Vinícius) e Tempo de Amor (Baden e Vinícius), contando com as participações especialíssimas de Zeca Pagodinho, Hamilton de Holanda , Seu Jorge e Raul de Souza.

Letícia Malvares

Letícia Malvares é flautista e toca desde o ano de 1999. Começou seus estudos e integrou a Itiberê rquestra Família de 2000 até 2010, com a qual gravou os discos “Pedra do Espia”, “Calendário do Som” e “Contrastes”. Em 2008 iniciou sua carreira no ambiente da música flamenca, tornando este um dos estilos mais presentes em sua carreira artística. Fez parte da Cia de Arte Flamenca em sua cidade natal e já atuou ao lado de importantes músicos e bailarinos do Brasil e da Espanha, como Antonio Canales, José Maya, Eli La Truco, Carmen La Talegona e Domingo Ortega. Em 2014 concluiu a graduação em flauta transversa pela Unirio – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, tornando-se bacharel em flauta transversa, onde foi aluna de Laura Rónai e Sérgio Barrenechea.

Em 2015 muda-se para Madrid, Espanha, onde se dedica a diversos trabalhos compreendidos entre a música flamenca e a brasileira. Teve contato e aulas particulares de flauta flamenca com Diego Villegas, Juan Parrilla, Juan Carlos Aracil e Jorge Pardo. Formou ao lado do violonista flamenco-brasileiro Fernando De La Rúa o Dúo Arabiando, com o qual vem atuando em diversas casas de show da cidade. Realizou, ao lado de Roberto Monteiro, a direção musical do espetáculo “Bom sujeito”, de dança teatro, onde as culturas brasileira e flamenca se encontram, idealizado e dirigido pela bailarina/ bailaora capixaba Ivna Messina. Fez parte do elenco da Roda de Choro de Madrid.  Atualmente toca no grupo “Los choros de Madrid”. No mundo do flamenco espanhol, faz parte do quadro flamenco do bailor Mario Bueno e do cantaor Aurelio Gallardo, com os quais já se apresentou por toda a Espanha, além de trabalhar em tablados na cidade, como “La Pacheca” e “Cardamomo”. Fez parte do elenco do musical “Punto de partida”, em homenagem à icônica cantora espanhola Rocío Jurado. Agora está em turnê pela Espanha com o espetáculo “Que no daria yo…”.Desde 2017 atua como flautista, compositora e arranjadora do “Quartetazzo”, quarteto de flautas formado por mulheres procedentes de diversos países, onde trabalham repertório da música mundial, sempre com arranjos e/ou composições próprias escritas especialmente para esta formação. O grupo lançou seu primeiro disco,“En el aire” em outubro de 2019.

Maiara Moraes

Maiara Moraes é flautista, arranjadora, compositora e professora natural de Florianópolis/SC FORMAÇÃO Possui graduação em licenciatura em música pela UDESC e Mestrado em Práticas Interpretativas pela UNICAMP, sob orientação do Prof. Dr. Rafael dos Santos. Sua dissertação foi a respeito do multi-instrumentista, arranjador e compositor Nicolino Copia – Copinha -, onde desenvolveu pesquisa biográfica e análise interpretativa de sua obra. Cursou Flauta Popular no Conservatório de Música de Tatuí – onde estudou com André Marques (improvisação), Fabio Leal, Paulo Braga (prática de conjunto) Paulo Flores e Edson Beltrami (flauta) – e na EMESP – onde estudou com Eduardo Neves (flauta e improvisação). De maneira informal estudou com Paulina Fain, Rogerio Wolf, Vinicius Dorin (flauta), Debora Gurgel e Guilherme Ribeiro (piano), Diego Schissi (composição). ATUAÇÃO ARTÍSTICA Desde 2012 reside em São Paulo onde desenvolve intensa atividade artística. Gravou dois discos autorais: Nós (Maiara Moraes Quarteto – 2018) e Cabeça de Vento (Maiara Moraes Quinteto – 2019) e atualmente é flautista da Orquestra Mundana e Orquestra Mundana Refugi, Conjunto João Rubinato, Guilherme Ribeiro Quinteto, Maiara Moraes e Salomão Soares. Participou da turnê e gravação do projeto Egberto 70 – Gaia Wilmer Big Band, Orquestra a Base de Sopros de Curitiba, Purahéi Trio, Gaia Wilmer Octeto, entre outras formações. Entre os anos de 2010 e 2011 residiu em Buenos Aires (AR) onde estudou tango e folclore latinoamericano. Lá formou o Purahéi Trio, grupo com repertório de músicas da fronteira do Brasil/Paraguai/Argentina com quem gravou dois discos e realizou shows na Argentina, Brasil e Suiça. ATUAÇÃO PEDAGÓGICA Atua como professora de música desde 2002 (flauta, teoria e percepção, prática de conjunto, história da música brasileira, improvisação). Ao longo de todos estes anos desenvolveu estudos e metodologia didática para flauta transversal no que diz respeito ao repertório de música popular. Como material suporte desta metodologia desenvolveu arranjos para a formação de grupo de flautas. Já lecionou em instituições e festivais como: Festival de Música de Ibiapaba (CE), Escola de Música Antenor Navarro (João Pessoa/PB), SESC Foz do Iguaçu/UNILA (PR), Caixa Cultural (SP), Casa da Colina (Fpolis/SC), Circuito SESC/SC. DISCOGRAFIA • Cabeça de Vento – Maiara Moraes Quinteto (2019 – Blaxtream) Maiara Moraes – flautas, composições e arranjos Josué dos Santos – flauta e saxofones Guilherme Ribeiro – piano Igor Pimenta – contrabaixo acústico e elétrico Pedro Henning – bateria • Nós – Maiara Moraes Quarteto (2018) Maiara Moraes – flautas e arranjos Salomão Soares – piano Marcos Paiva – contrabaixo acústico e elétrico Pedro Henning – bateria • Caravana Regufi – Orquestra Mundana Refugi (2019) • Orquestra Mundana Refugi Ao Vivo (2018) Direção – Carlinhos Antunes • Yrupá Purahéi – Purahéi Trio (2014) • Paraguay Purahéi – Purahéi Trio (2011) Romy Martinez – voz Maiara Moraes – flauta Agustin Roy – piano • A testa in giù – Orquestra a Base de Sopros de Curitiba e Gabriele Mirabassi (2010) • Nossos Compositores – Orquestra a Base de Sopros de Curitiba (2009) Direção – Sergio Albach

Teco Cardoso

Teco Cardoso e ́ um dos mais requisitados flautistas/saxofonistas do cenário musical brasileiro contemporâneo. Músico que tem se dedicado ao desenvolvimento de uma linguagem própria e brasileira para seus instru- mentos, participou do Movimento de Música Independente Paulista do final da década de 70 com grupos como PéAntePé, Grupo Um, ZonAzuL, in- gressou no grupo Pau Brasil na década de 80 com o qual gravou 12 Cds e fez inúmeras turnes pela Europa. Co-fundador do selo Nucleo Contempo- raneo e da Orquestra Popular de Camara juntamente com Benjamim Taubkin, ja trabalhou como solista ao lado de grandes nomes da nossa Musica Popular como : Edu Lobo, Dori Caymmi, Joyce, Baden Powell, João Donato, Moacir Santos, Paulinho Nogueira, Carlos Lira, Johny Alf, Sergio Santos, Nelson Ayres, Marlui Miranda, Monica Salmaso, Renato Bras, Os- car Castro Neves, Jim Hall, Toots Thielemans, Filó Machado, Rosa Passos, Mozar Terra, Lea freire, Benjamim Taubkin, Mario Adnet, entre outros. Como solista lançou “Meu Brasil” (prêmio Sharp revelação Instru- mental 98), “Caminhos Cruzados” ( com o violonista Ulisses Rocha ), “O Cineasta da Selva” ( trilha sonora do longa metragem homônimo compos- ta juntamente com o percussionista Caito Marcondes ) , “Quinteto” ( jun- tamente com a flautista e compositora Lea freire ) e “Erudito Popular e Vice-Versa” em Duo com o pianista Tiago Costa. Participou dos CDs “ Ouro Negro “ e “Choros e Alegria”, tributo ao maestro Moacir Santos e produziu e tocou no projeto “ Jobim Sinfônico “ juntamente com a OSESP ( Orques- tra Sinfônica do Estado de São Paulo ), com o qual ganhou um Grammy . Em 2009 ganhou o Grammy de “Melhor Grupo de Jazz Contemporâneo” com o CD “Randy Brecker in Brasil”. Produziu e tocou nos CDs “Brasiiana” e “Arraial” do quinteto “Vento em Madeira”. Ùltimos trabalhos como solista são os CDs “Erudito Popular e vice-versa”, com o pianista Tiago Costa e “Dança do Tempo” com Swami Jr no violão de sete e Bebe Kramer ao Acordeon. Casado com a cantora Monica Salmaso desde 2006, lançou junta- mente com o Grupo Pau Brasil e a cantora o CD e DVD “Noites de Gala Samba na Rua” com músicas de Chico Buarque , alem de ter produzido seus últimos trabalhos: “Alma Lírica Brasileira” (CD e DVD), “Corpo de Bai- le” (CD e DVD) e “Caipira” (CD). “ … um solista vibrante com uma energia tropical contagiante . “( Le Monde / Paris } “ … Cardoso desenvolve solos de uma criatividade apaixonante . “ (Leonard Feather / Los A ngeles Times ) . “ … Meu Brasil, seu primeiro album solo, fornece a chave para a compreensão de uma brasilidade contemporânea .“ ( A Gazeta Mercantil ) “A special thumbs up for saxophonist Teco Cardoso, who proves to be a remarkable team mate for the trumpeter (Randy Brecker in “Randy in Brasil” CD, Grammy awarded in 2009) during the exchange of solos.”