Classe de Acordeom

Vitor Gonçalves - Coordenador da Classe

Nascido em Cataguases, Minas Gerais, Vitor Gonçalves cresceu no Rio de Janeiro. Com 10 anos iniciou seus estudos  musicais no violão, logo passando para o piano e mais adiante adicionando o acordeom. Graduou-se Bacharel em piano pela Uni-Rio em 2005 sob a tutela de Estela Caldi. De 2000 a 2009 participou como acordeonista, pianista e saxofonista da “Itiberê Orquestra Família”, grupo de música instrumental liderado por Itiberê Zwarg, baixista há mais de quarenta anos do grupo de Hermeto Pascoal. Com a Orquestra, gravou três CDs, “Pedra do Espia”, “Calendário do Som” e “Contrastes”; e fez shows por todo o Brasil, Argentina e Uruguai. Teve o privilégio de tocar como pianista do “Hermeto Pascoal e Grupo” um par de vezes em palcos brasileiros. De 2009 a 2012 integrou o banda de Maria Bethânia, com a qual gravou dois CDs e um DVD e viajou em turnês pelo Brasil, Europa, África e Estados Unidos. Entre outros grandes músicos brasileiros com os quais trabalhou encontram-se Elza Soares, Emílio Santiago, Soraya Ravenle, Idriss Boudrioua, Eduardo Neves, Mauro Senise, Leo Gandelman, Hamilton de Holanda, entre outros. Criou o grupo “Bamboo” junto com Bernardo Ramos, Alex Buck, Bruno Aguilar e Josué Lopez. O grupo desenvolveu uma linguagem arrojada e inovadora no cenário brasileiro e gravou dois discos, “Bamboo”, com participação de Hamilton de Holanda e “Abertura”. Em 2012 se mudou para Nova Iorque, onde vive desde então. Lá cursou um Mestrado em Jazz Perfomance e se estabeleceu com uma voz musical original e criativa. Criou o seu quarteto ao lado dos excepcionais músicos Dan Weiss, Thomas Morgan e Todd Neufeld, e registrou o disco “Vitor Gonçalves Quartet”, lançado pela Sunnyside Records e aclamado com 4 estrelas e meia pela revista Downbeat. Dos muitos projetos que participa na cena musical da cidade destaca-se o “Anat Cohen Tentet”, com o qual gravou dois CDs, o último deles indicado ao Grammy 2020 de melhor “Large Jazz Ensemble”. E ainda no mesmo ano colecionou outra indicação ao Grammy em 2020 com o projeto “Sorte!”, ao lado de John Finburry, Thalma de Freitas, John Patitucci, Airto Moreira, Duduka da Fonseca, Chico Pinheiro e Rogerio Boccatto. Outro trabalho de destaque que participa é o quarteto de Yotam Silberstein, exímio guitarrista israelense, com o qual gravou o álbum “Future Memories” e excursionou por grandes palcos dos EUA, Europa e Japão. Em Nova Iorque, Vitor se aprofundou nos estudos de acordeom, fazendo aulas com o renomado acordeonista espanhol Victor Prieto. Ao longo desses anos desenvolveu um estilo próprio utilizando o chamado sistema free bass, ou baixo solto, na mão esquerda, para criar e recriar os ritmos brasileiros, algo então inexplorado no contexto da música brasileira. Junto com os conterrâneos Eduardo Belo e Vanderlei Pereira fundou o grupo “Sanfonya Brasileira”, um trio de acordeom, baixo e bateria. O grupo lançou disco homônimo de composições originais com participacão especial do saxofonista Steve Wilson.

PROFESSORES

Bebê Kramer

Alessandro Kramer, nasceu na cidade de Vacaria, no estado do Rio Grande do Sul, e começou a tocar acordeon ainda muito jovem, inspirado pelo seu pai, Alencar Rodrigues, um acordeonista bastante conhecido na região. Alessandro, hoje mais conhecido como BB Kramer, é considerado um dos maiores acordeonistas do Brasil na atualidade e é um dos nomes mais significativos da nova geração de acordeonistas também no exterior. Como compositor, BB apresenta uma estética musical inovadora, na qual traz a expressão de sua fonte inicial, o Rio Grande do Sul, com a junção de outros sotaques, sempre tendo como característica principal sua forte energia ao tocar. O começo da sua carreira como músico profissional, aconteceu ainda na adolescência, e ganhou força quando escolheu a cidade de Florianópolis, em Santa Catarina, para ser o palco do seu crescimento musical, vindo a tocar com músicos altamente conceituados, como Guinha Ramires, Alegre Correa, Toninho Horta e Arismar do Espírito Santo. Ainda em Santa Catarina, com outros quatro grandes músicos; Endrigo Bettega, Ronaldo Saggiorato, Guinha Ramires e Mario Conde, BB formou a banda chamada Dr. Cipó, com a qual gravou três álbuns que são uma importante referência para músicos e admiradores da música de todo o mundo. O álbum “A Casa”, marca o início de sua carreira solo, tendo as participações de Guinha Ramires, Guto Wirtti e Hamilton de Holanda, com a produção de Alegre Correa. Em 2008, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde vive desde então, e este é certamente o lugar onde seus horizontes musicais se expandiram, tornando-o um dos mais renomados músicos no cenário da música instrumental Brasileira hoje em dia. Com Guinha Ramires e Alegre Corrêa gravou, na Áustria, o CD “Laçador”, o qual apresentou em diversos países da Europa e surpreendeu público e crítica. A parceria com Yamandu Costa resultou na gravação de três trabalhos; um DVD ao vivo, com o qual excursionou pela China e Europa, um CD em Duo e um programa de televisão para o canal Mezzo, que em uma das salas mais importantes da Europa, se apresentaram como solistas junto da Orquestra Sinfônica de Paris. Gravou o CD “Realejo”, com Gabriel Grossi, trabalho onde desfrutam da cumplicidade musical que lhes é peculiar. A parceria com Toninho Ferragutti resultou no CD “Como Manda o Figurino”, com composições de ambos, e repertório variado. Sua versatilidade é destacada no CD “Roda Gingante”, com Arismar do Espírito Santo, Gabriel Grossi, Leonardo Amuedo e Thiago Espírito Santo. Com os músicos Yamandu Costa, Rogerio Caetano e Luis Barcelos, gravou o álbum “Tocata à Amizade” vencedor em 2016 do Prêmio da Música Brasileira em duas categorias. Com Teco Cardoso e Swami Jr, gravou o álbum “Dança do Tempo”, que reúne um repertório autoral apresentando uma estética requintada. “Alessandro Kramer Quarteto”, traz as participações de Guto Wirtti, Luis Barcelos e Sergio Valdeos, e apresenta claramente sua identidade musical, mesclando a tradição da música gaúcha com a ousadia que é sempre tão presente na sua musicalidade e foi indicado no ano de 2018 ao Prêmio da Música Brasileira, concorrendo com Hermeto Pascoal e Hamilton de Holanda. Ao longo da sua carreira, Kramer já gravou e tocou com grandes artistas da música Brasileira e mundial, tais como; Hermeto Paschoal, Guinga, Arismar do Espírito Santo, Toninho Horta, Moraes Moreira, Paulo Moura, Silvério Pontes, Zé da Velha, Hamilton de Holanda, Marco Pereira, Carlos Malta, Yamandú Costa, bem como os acordeonistas Dominguinhos, Osvaldinho do Acordeon e Renato Borghetti.Sua música já o levou em turnês por diversos países do mundo como: França, Espanha, Bélgica, Alemanha, Itália, Suíça, Holanda, Israel, China, Angola, Argentina, Liechtenstein e Áustria. Nesse último, participou por duas vezes do Festival de Acordeon de Viena, sendo considerado pelos críticos como um dos pontos altos do evento.Com seu notável conhecimento de harmonia e improvisação, BB teve sua primeira base, principalmente na música do seu Estado natal, Rio Grande do Sul, e hoje, toca chorinho, samba, tango, jazz e todos os outros estilos musicais com grande desenvoltura.

Chico Chagas

Chico Chagas Acordeonista, tecladista e pianista, natural de Rio Branco, Acre. Filho, neto e bisneto de acordeonista, também estudou violão, baixo, trompete, clarinete, flauta doce e sax. Licenciado em música pela FAMES (Faculdade de Música do Espirito Santo) e pós-graduando em Gestão escolar e especialização em didática do ensino superior. Estudou harmonia no CIGAM (Centro Ian Guest de Aperfeiçoamento Musical), piano popular com o maestro Leandro Braga, piano jazz com Dário Galante e técnica de piano clássico com o professor Breno Lucena (todos no Rio de Janeiro). Morou na França, Alemanha e Londres onde morou maior parte do tempo na Europa, estudou acordeon clássico com Romano Viazzani. Ainda em Londres recebeu um convite para escrever um livro sobre o Acordeon Latin Jazz pelo professor Owen Murray, responsável pela cadeira de acordeon na Royal Academy of Music. No Brasil tocou em gravou com nomes como Milton Nascimento, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Cássia Eller, Ivete Sangalo, Daniela Mercury, Elba Ramalho, Alceu Valença, Trio Forrozão, Orquestra Sinfônica Brasileira, Adriana Calcanhoto, Marina Lima, Maria Bethania, Mú Carvalho, Moraes Moreira, Bezerra da Silva, Boca Livre, Pinduca, Genival Lacerda, João Bosco, Djavan, Erasmo Carlos e outros. Tem composições gravadas com Paulo Moura, Naná Vasconcelos, Trio Forrozão, Spok Frevo Orquestra entre outros. É diretor premiado com o show “Do Cóccix até o pescoço” da cantora Elza Soares, Tem 4 Cds gravados no Brasil e 3 em fase de finalização em Tourino, Itália e dois em Londres.Foi o vencedor do Kaunas Jazz Festival, Lituânia, 2009 com o melhor show de jazz ao lado do saxofonista britânico Dave O’Higgins (Frank Sinatra, Ray Charles, BBC Big Band entre outros). Em 2019, foi jurado em cinco bancas onde presidiu duas no PIF (Premio Internazionale della Fisarmonica), o mais famoso festival de acordeon do mundo, em Castelfidardo, Italia. Atualmente dedica ao estudo do acordeon jazz e o acordeon brasileiro em toda sua essência, de norte a sul do Brasil e as suas mais diversas linguagens, além de apresentações com o Acordeon Trio, criado em 2011 com os músicos Alexandre Cavallo (Bx) e Christiano Galvão (Bt) onde desenvolve um linguagem diferente voltada para o acordeon brasileiro e suas influências.

Duo Creosote

Jamie Maschler e Gabe Hall-Rodrigues – Duo Creosote

O Duo Creosote é formado pelos renomados acordeonistas de Seattle (EUA) Jamie Maschler e Gabriel Hall-Rodrigues. Juntos eles criam arranjos originais com forte inspiração na música brasileira apresentando um linguagem única e surpreendente. O duo se apresentou nos principais encontros e festivais de acordeom dos EUA, além de agenda ativa na cena local de Seatlle. Esse ano foram convidados a se apresentar no Museu de Produção Musical da “National Association of Music Merchants” (NAMM), a maior feira de instrumentos musicais do mundo.
Em novembro de 2018, a dupla competiu no “Trophée Mondiale” em Loulé, Portugal, representarando os EUA com peças originais e arranjos para o duo.
Jamie e Gabe se conheceram na fábrica de acordeons “Petosa Accordions” em Seattle, EUA, onde ambos trabalham hoje em dia, lecionando e reparando instrumentos. Eles também são membros do principal grupo forró de Seattle, EnCanto. Entre seus projetos em desenvolvimento estão a criação da “Emerald City Accordion School” e a gravação seu primeiro álbum, a ser realizada no Brasil no final de 2020.

Jonatan Dalmonte

Jonatan Dalmonte, acordeonista e engenheiro eletrônico. Iniciou seus estudos de acordeon aos 12 anos. Sua trajetória tem passagens pelos concursos de acordeon, bailes e festivais nativistas. Atualmente faz parte do Projeto Pulso Livre. Em 2012 ao final da faculdade de engenharia elétrica desenvolveu seu próprio sistema de captação para acordeon utilizando os conhecimentos de acústica, áudio, eletrônica e sua experiencia como acordeonista. Com a importante contribuição de diversos músicos experientes e técnicos de som exigentes o projeto teve uma ampla aceitação entre os acordeonistas culminando no nascimento da empresa Harmonik. As captações fabricadas em Porto Alegre- RS são distribuídas em diversos países sendo muito bem aceitas por acordeonistas no mundo todo transformando a Harmonik em uma das principais empresas no seu segmento.

Lívia Mattos

Nascida em Salvador/BA, LÍVIA MATTOS é acordeonista, cantautora, socióloga e performer. Depois de muitos anos circulando nos trabalhos de artistas consagrados – como Chico César, Rosa Passos, Badi Assad, Orquestra Sinfônica da Bahia e muitos outros – lançou o seu primeiro álbum autoral em 2017. O álbum “Vinha da ida”, com arranjos ousados, letras inventivas e fusões incomuns de raízes brasileiras e ritmos além fronteira, receberam grandes elogios da crítica. 

Com o seu trabalho autoral, circula por todo Brasil e por diversos países, tendo tocado em festivais como “Akkordeon Festival Wien””, na Áustria; “International Macau Parede”, na China; “Cantos na Maré”, na Galícia, dentre muitos outros. Em 2017, foi selecionada para o programa Onebeat, da Found Sound Nation (EUA), onde realizou residência e turnê pelos Estados Unidos, com outros 24 músicos escolhidos ao redor do mundo. No Brasil, já ganhou os principais e mais concorridos editais voltados para cultura, como o Natura Musical (2016), o Rumos Itau Cultural (2017) e o Circuito SESI (2019), além de diversos projetos contemplados pela Secretaria de Cultura da Bahia. 

Além de ser considerada uma carismática frontwoman, Livia transita constantemente por criações de outras linguagens – como a dança, o circo, o audiovisual e o teatro. Atualmente, está dirigindo um documentário sobre a musica no circo no Brasil, fruto de uma pesquisa de mais de oito anos, que se baseia nas narrativas de circenses veteranos.

 

Luciano Maia

Instrumentista, cantor, compositor, natural de Pelotas/RS é um dos mais respeitados acordeonistas do sul do país na atualidade, com 20 anos de carreira possui doze discos em sua discografia, tendo lançado neste ano os álbuns “Passagem” e “Cordeonita”, um projeto especial, destinado à formação de repertório para crianças. Maia já apresentou-se em importantes projetos musicais e festivais de jazz no Brasil e na Europa e atua frequentemente como solista em prestigiados concertos com especial destaque ao Concerto para acordeom de Radámes Gnattali que interpretou no programa da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro e da Orquestra Unisinos/Anchieta. Reconhecido por sua atuação, Luciano Maia conquistou importantes prêmios do Rio Grande do Sul, entre os quais: 8 Prêmios Açorianos; Prêmio Vitor Mateus Teixeira e ainda indicaçõesao prêmio da música brasileira.

Luiz Carlos Borges

O cantor, compositor e acordeonista LUIZ CARLOS BORGES iniciou sua carreira aos sete anos de idade, no conjunto “Irmãos Borges”, na região missioneira do Rio Grande do Sul, com quem gravou seus três primeiros discos. 

Sua carreira solo iniciou a partir do sucesso com a composição “Tropa de Osso”, premiada na 9ª edição da Califórnia da Canção Nativa do RS, movimento musical que revolucionou a Música Tradicional Gaúcha na década de 70. Borges é formado em Música e em sua trajetória profissional, já assumiu cargos como assessor de Cultura e Turismo das cidades de São Borja e Santa Maria. Em 1983 idealizou e desenvolveu o Festival Musicanto Sul-Americano de Nativismo em Santa Rosa. No ano de 1992, lançou seu 1º CD Internacional “Gaúcho Rider”, e iniciou o ano cumprindo uma agenda de 14 Shows pela Europa, em países como: Alemanha, Áustria, Itália, Eslovênia, Suíça e Polônia. Borges marcou presença também em eventos musicais de diversos países, entre eles: Festival Nacional Del Folclore em Cosquin – Córdoba – Argentina; Fiesta Nacional del Chamamé em Corrientes – Argentina; Festival Internacional de folclore – em Salt Lake City – Estados Unidos; Semana regional do Folclore em Caiena – Guiana Francesa. Em 2005, esteve em Viena, na Áustria, representando o Brasil junto a outros diversos artistas da música regional gaúcha. Em 2006 com o violonista Maurício Marques e o gaiteiro Renato Borghetti, participou do festival de música e poesia da cidade de Elko – Nevada – Estados Unidos. Em 2008 a convite da inesquecível Mercedes Sosa, participou da última turnê da cantora pela Alemanha e Israel fazendo parte também do seu último álbum, “Cantora”, com a música Misionera. Sua mais recente turnê pela Europa foi em 2011, visitando festivais de Jazz e música Folclórica na França e Alemanha. Com mais de 50 anos de carreira e 32 discos gravados, Luiz Carlos Borges é considerado embaixador cultural do Rio Grande do Sul e segue sempre investindo na renovação da música regional gaúcha. Seu mais recente trabalho é o Dose Dupla, lançado em 2017. Para 2018 o artista promete um disco histórico: Luiz Carlos Borges interpreta Telmo de Lima Freitas.

 

Nonato Lima

Cearense, natural de Quixadá, o jovem instrumentista Nonato Lima vive a música desde sua infância quando teve seu primeiro contato com a sanfona. Tocando na noite, logo ganhou destaque e reconhecimento, seu estilo particular de criar e improvisar o elevou como músico e instrumentista, possibilitando sua participação em diversos programas locais e nacionais, bem como o respeito e admiração de ícones da música como Dominguinhos e Richard Galliano (acordeonista francês). Em sua trajetória, Nonato competiu em festivais nacionais e internacionais, sendo campeão em todos. O primeiro festival, em 2010, ocorreu em Limoeiro do Norte – CE, o segundo em Fortaleza – CE (2012) e o terceiro em Juazeiro da Bahia (2015). Recentemente fez turnê pela Europa levando a música brasileira através de seu acordeon pela França, Bélgica e Suécia. Além das apresentações, o músico foi convidado pelo grande acordeonista francês Richard Galliano para participar de um documentário sobre sua vida. No Brasil, Nonato fez show com Richard em São Bento do Sul – PR, acompanhou diversos artistas como Dominguinhos, Raimundo Fagner, Flávia Wenceslau, Marcos Lessa, dentre outros, e atualmente é integrante da Banda Acaiaca e da Orquestra Sanfonas do Ceará, além de priorizar seus projetos instrumentais com solo, duo, trio e quarteto, e a gravação do seu primeiro CD solo com músicas autorais. Nonato Lima participou do Encontro Internacional de Acordeon que ocorreu em Santa Catarina chamado ”Accordion Festival”, das Olimpíadas Rio 2016, levando o nome do Ceará para o mundo. Finalizou o ano de 2016 no Festival Choro e Jazz de Jericoacoara com seu projeto trio. Em 2017, participou de vários festivais, em especial o “Floripa instrumental” junto a grandes nomes da nossa música; foi homenageado pela Assembléia legislativa do estado do Ceará em resgate à música popular brasileira. Apesar da pouca idade, Nonato já tem uma bela bagagem musical, tendo em destaque suas composições gravadas pelas maiores orquestras do Brasil sendo uma delas a Spok Frevo Orquestra, com sua sua participação. Também gravou o DVD da Cantora Alexandra Nicolas, quando pode partilhar o palco com renomados músicos como: João Lyra, Luciana Rabelo, Celsinho Silva e Mauricio Carrilho. Em 2018, fez sua primeira turnê internacional passando em alguns países da Europa como França , Bélgica e Suíça, representando o estado do Ceará nos principais festivais da Europa, mostrando a música brasileira através de sua sanfona. Seu primeiro disco de carreira solo, foi lançado no segundo semestre de 2019, o disco vem com composições autorais em diversos estilos, fazendo uma viagem musical no mundo do Acordeon. O disco tem o nome de “Brasiliando”, título de uma de suas composições. O disco conta com participações de renomados nomes da música instrumental como Arismar do Espírito Santo e Spok Frevo Orquestra. Além de tocar, compor, produzir, Nonato também ministra oficinas, palestras e workshops em seus projetos sobre aulas e conhecimento do instrumento, dividindo um pouco de sua experiência e passando um pouco de seu aprendizado aos amantes do acordeon. Já ministrou aulas, na França, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraíba e varios outros lugares. A trajetória do instrumentista cearense Nonato Lima já o levou para atuar com diversos nomes da música, com destaque para: Dominguinhos, Richard Galliano, Elba Ramalho, Anastácia, Saulo ex banda Eva, Waldonys, Maciel Mello, Amelinha, Toninho Horta, Hermeto Pascoal, Alexandro Penezzi, Egberto Gismonti, Zé Paulo Becker, Alexandre Ribeiro, Adelson Viana, Spok Frevo Orquestra, Adelmário Coelho, Arismar do Espírito Santo, Regional Época de ouro (grupo mais antigo de choro do Brasil), entre muitos outros. Sua mais recente participação foi no Sertão Central Festival de Acordeon, em Madalena – Ceará. Desta vez, o músico foi convidado a participar do Júri e avaliar as apresentações de vinte acordeonistas de todo o Brasil, além de levar aos participantes a oficina com o tema “Harmonia e Improvisação” e o Show instrumental Nonato Lima Trio com a participação dos Músicos Miqueias Santos

Ronison Borba

Ronison Borba, músico formado pela Universidade Federal de Santa Maria, é acordeonista e professor. Atualmente está no último ano do curso de acordeão na Escola Superior de Artes Aplicadas (IPCB), em Castelo Branco/Portugal, onde estuda com o renomado acordeonista, professor e compositor português Paulo Jorge Ferreira. Participou de festivais nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, São Paulo, Roraima e Amazonas, além de países como Chile e Argentina, França e Portugal. Participou de aulas e masterclass com Iñaki Alberdi (Espanha), Gorka Hermosa (Espanha), Milos Milivojevic (Servia), Richard Galliano (França), Toninho Ferragutti, Oscar dos Reis, Elias Rezende, Chico Chagas, Luciano Maia, Samuca do Acordeon, Otavio de Assis Brasil. Vencedor de diversos festivais como o Enart no conjunto instrumental (2010, 2017, 2018), acordeão (2015), prêmio de melhor instrumentista em festivais no Rio Grande do Sul (2018). Em 2017 com o projeto Mafuá Trio Instrumental, lançou o cd “Arrebol”, indicado ao Prêmio Açorianos como melhor disco de música instrumental e revelação. Atualmente prepara o repertório para seu disco solo voltado ao repertório erudito para o acordeão.

Toninho Ferragutti

Toninho Ferragutti é considerado um dos mais inventivos e talentosos acordeonistas, Possui uma extensa participação em centenas de cds e shows de artistas importantes no Brasil e no exterior. Tem 13 cds solo e em parceria, com 3 indicações ao Grammy Latino e indicacões ao Premio Tim, Prêmio Governador do Estado de São Paulo e Prêmio da Música Brasileira. É ganhador do troféu Açorianos de música 2014/2015 como melhor compositor Erudito, Troféu Cata-Vento 2015 na categoria Música Instrumental. Seu CD “A Gata Café”, esta entre os melhores cds de 2016 e através dele recebeu o Prêmio de melhor solista na categoria Música Instrumental no 28o Prêmio da Música Brasieleira. Antes de se profissionalizar, Toninho Ferragutti cursou três anos de veterinária na UNESP de Botucatu, curso que abandonou no último ano para se mudar definitivamente para São Paulo, Em 1983, marca o início de sua carreira como músico profissional. Apresentando-se em programas de televisão, participando de gravações de discos e gravações de trilhas para cinema, novelas. Esta presente em shows e gravações de CDs de grande parte dos artistas da MPB como: Gilberto Gil, Maria Bethania, Edu Lobo, Antonio Nóbrega, Elba Ramalho, Mônica Salmaso, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Chico Cesar, Sivuca, Dominguinhos, Oswaldinho do Acordeom, Lenine, Paulo Moura, Marisa Monte, Elza Soares, Dory Caymi, Joyce, Nelson Ayres, Nico Assunção, Hermeto Paschoal, Lenine, Elza Soares, Quinteto Violado, Grupo Corpo, Mario Adnet, Proveta, entre outros. Participou e vem participando como solista de diversas orquestras como a Orquestras Jazz Sinfônica de São Paulo, Orquestra Petrobras Pró- música, Orquestra da Câmera da Universidade da Paraíba, Orquestra Sinfônica do Recife, Orquestra da maestrina Maria Schneider, Osquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasilia, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica do Mato Grosso, Orquestra de Câmara da ECA(OCAM), Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina”, sob a regência dos Maestros, Evgueni Rachevi, Cyro Pereira, Nelson Ayres, Claudio Cruz, Leandro Carvalho, Osman Gioia, Claudio Cohen, Carlos Anisio, Maria Schneider, Gil Jardim entre outros.