Ovanir Buosi - Coordenador de Classe

Natural de Americana-SP, iniciou seus estudos musicais aos 12 anos de idade com o professor Luis Afonso Montanha. Graduou-se pela Unesp na classe do professor Sérgio Burgani e continuou sua formação no Royal College of Music de Londres, onde estudou com o clarinetista Michael Collins. Em Londres, integrou a Southbank Sinfonia, e apresentou-se com o prestigiado grupo London Winds em performances no Cheltenham Festival, em turnê pela Holanda e no festival londrino The Proms. Foi premiado nos concursos Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp),  I Prêmio Weril para Instrumentistas de Sopro, Solistas da Rádio MEC e no X Prêmio Eldorado de Música. Desde 1997 ocupa a cadeira de 1o. Clarinete Solista da Osesp, tendo participado de diversas turnês internacionais pela China, Europa e Estados Unidos, tocando em salas como a Concertgebouw de Amsterdã, Royal Albert Hall de Londres, Salle Pleyel de Paris, entre outras. Frente à Osesp, como solista, fez a estréias brasileira do Concerto para clarinete do compositor americano John Corigliano. Ainda como solista destaca-se as performances junto à Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, Sinfônica da Paraíba, Sinfônica de Campinas, Sinfônica da USP, Sinfônica da Bahia e Filarmônica de Minas Gerais. Desenvolve intensa atividade camerística, sendo participante regular de importantes séries de música de câmara como a Solistas da Osesp, Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro, séries do MASP e Pinacoteca em São Paulo. Fez parte do Quinteto de Sopros de Curitiba, do grupo London Winds e colaborou intensamente com o Quarteto Portinari, Quarteto Osesp, Quarteto Arianna(EUA), Quatuor Zaide (FRA) e com o pianista Horacio Gouveia. Desde 2016 integra o Quinteto Zephyros, realizando concertos em séries no Masp, Pinacoteca, Festival de Inverno de Campos do Jordão, e em cidades do interior do Estado de São Paulo; também integra o recém criado Sexteto São Paulo. Em sua discografia consta o registro de obras para quinteto de sopros de compositores das Américas com o Quinteto Zephyros, o CD intitulado 'Retrato das Américas' com o pianista Horacio Gouveia e ainda o CD com o Quinteto de Sopros de Curitiba Atualmente é docente da Academia Osesp e constantemente é professor-recitalista convidado de diversos festivais ao redor do Brasil, como o Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival Internacional de Música de Santa Catarina, Oficina de Música de Curitiba, além de países como Colômbia, Argentina e China. É professor formado da Técnica Alexander. Ovanir Buosi é artista Buffet-Crampon.

Diogo Maia

Diogo Maia é brasiliense. Cursou graduação e mestrado em música na ECA-USP, e recentemente ingressou no doutorado na mesma instituição. Desde 2011 é claronista da Orquestra do Theatro Municipal de São Paulo e atualmente integra o quinteto de clarinetes Sujeito a Guincho, o grupo Seis com Casca, o trio Atitude Zero e o ensemble Baderna Moderna; e juntamente com Daniel Oliveira forma o duo Clownrinetas. Atua como convidado em grupos como Orquestra Moderna, Percorso Ensemble e Camerata Aberta, tendo gravado CDs com os dois últimos. Tocou e gravou com Hermeto Pascoal, Leila Pinheiro, Mônica Salmaso, Cristina Buarque, Marco Pereira, entre outros. Frequentemente grava trilhas para teatro, cinema e televisão. Diogo venceu o concurso Jovens Intérpretes da Música Brasileira do CCSP, e por dois anos seguidos recebeu o primeiro prêmio do Projeto Nascente da USP (em música popular e música erudita). Participou de dezenas de CDs incluindo o premiado CD Villa-Lobos em Paris (Diapason D’or); e dois CDs com o grupo Seis com Casca. Em 2019, participou do livro-CD Jazz Rural, sobre Mário de Andrade. Participou da idealização e organização do Simpósio para Clarinetistas (USP, 2014), do 2º Simpósio para Clarinetistas (UNESP, 2015), do Encontro Brasileiro de Claronistas (Poços de Caldas, 2015), do Encontro Brasileiro de Clarinetistas e Claronistas (Poços de Caldas, 2017), e do 12º Encontro Brasileiro de Clarinetistas e 4º de Claronistas (USP/ENESP, 2019). Foi professor no Festival de Música de Prados e em duas edições do Festival Música nas Montanhas, e desde 2017, compõe o corpo editorial da Revista Clarineta. Atualmente é professor de clarineta da Faculdade Cantareira. Diogo Maia é artista D’Addario Woodwinds.

Marcus Julius

Bacharel em Clarinete pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), na classe do professor Sérgio Burgani, Marcus Julius iniciou seus estudos em 1996 com Edmilson Nery na Escola Municipal de Música de São Paulo. Foi também aluno de Luis Afonso “Montanha” no curso de difusão da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo em 2001. Agraciado com uma bolsa de estudos por mérito no The Boston Conservatory - EUA, cursou parte de seu mestrado na classe do professor Jonathan Cohler no ano de 2008. Atuou como spalla na Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e chefe de naipe das orquestras Jovem de Guarulhos, do Instituto Baccarelli e da Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo. Integrou ainda a Orquestra Acadêmica da Cidade de São Paulo e o Quarteto Paulista de Clarinetas. Foi também professor de clarinete e teoria musical no curso superior do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, professor assistente no projeto social Orquestra do Amanhã, oferecido pelo Instituto Baccarelli na comunidade de Heliópolis, São Paulo, artista residente no II Festival de Verão Mto. Eleazar de Carvalho – Itu, II Encontro Paraibano de Clarinetistas e nas 2ª. e 3ª. edições do Simpósio de Clarinetistas da Unesp, além de compor a banca julgadora do 3º. Concurso Devon & Burgani para Jovens Clarinetistas. Marcus foi bolsista de importantes festivais brasileiros, como o Internacional de Campos do Jordão e o Música nas Montanhas, em Poços de Caldas. Participou de masterclasses com renomados clarinetistas internacionais, como Paul Meyer, Michael Collins, Munfred Pries, François Benda, Donald Montanaro e Michael Norsworthy. Vencedor do Prêmio Isolisti (Brasil), na categoria Música Instrumental Erudita, retornou ao Brasil em 2009 e fixou residência em Belo Horizonte, integrando a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, inicialmente na função de Principal Assistente, e, a partir de outubro de 2012, como Clarinete Principal. No âmbito internacional, Marcus participou de concursos e audições nos Estados Unidos e França. Em viagens à China, foi artista residente no 8º Festival Internacional de Clarinete e Saxofone de Nan Ning em 2010, no Festival Internacional de Clarinetes de Pequim em 2014 – cujo Concerto de Gala se deu no anfiteatro da Cidade Proibida – em 2015, professor palestrante nos conservatórios de Shenyang e Tai-Yuan na China e no Instituto Superior de Música del Estado de Vera Cruz, Xalapa, México. Foi artista residente no Dream Clarinet Academy e jurado da Royal Musical Collection International Clarinet Competition, ambos na cidade de Baoding, China, VII Taller para Jovenes Clarinetistas e IV Congresso Latino-americano de Clarinetistas em Lima, Peru. Marcus Julius Lander é artista Royal Global e D’addario Woodwinds.

Daniel Rosas

Com a OSESP desde 2005, começou a aprender música aos 10 anos de idade quando recebeu suas primeiras orientações sobre o clarinete com seu irmão mais velho Giuliano Rosas. Estudou também com Luís Afonso Montanha, Edmilson Nery, Sérgio Burgani e Jonathan Cohler. Participou de festivais como o de Inverno de Campos do Jordão, de Verão da Escola de Música de Brasília, de Artes de Itu e o International Clarinet Conection, em Boston (EUA). É bacharel em música pela Unesp e ex-bolsista da Fundação Vitae e acumula diversas primeiras colocações em concursos nacionais e também o Harold Wright Merit Award. Sua experiência profissional inclui Orquestra Filarmônica de São Bernardo do Campo, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

Paula Pires

Mestra em clarinete solo, com nota máxima, pela Hochschule für Musik und Tanz Köln na classe do professor Ralph Manno e doutoranda em Música pela Universidade de Évora. Atua intensamente como solista de Música contemporânea, camerista e instrumentista de orquestra, tendo também integrado o corpo docente da EMESP Tom Jobim, em São Paulo. Iniciou seus estudos musicais em sua cidade natal, Belo Horizonte e concluiu seu bacharelado em clarinete pela UNESP, orientada pelo Professor Sérgio Burgani.
 Foi bolsista de pós-graduação do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) e premiada com a bolsa de aperfeiçoamento técnico e artístico da FUNARTE, para estudos acerca de Karlheinz Stockhausen, além de vencedora do “1° Concurso Jovens clarinetistas Devon e Burgani”, “Jovem Músico BDMG” e do “II concurso de Jovens Solistas da OSMG”. Atualmente é integrante da OSTNCS, em Brasília. 

Jairo Wilkens

Jairo Wilkens é Principal Clarinete/Requinta e Chefe de Naipe da Orquestra Sinfônica do Paraná e artista da Buffet Crampon. Natural da cidade de Vigia (Pará) estudou no Conservatório Carlos Gomes com Oleg Andryeyev. Bacharel em Clarinete pela UNESPAR/Campus de Curitiba I – Embap sob orientação de Maurício Carneiro. Estudos de aperfeiçoamento musical com Howard Klug, Luis Afonso Montanha, Sergio Burgani e Pascal Moraguès. Participou como artista convidado nas convenções ClarinetFest 2008, 2010 e 2014, promovidos pela International Clarinet Association. Em 2016 Jairo lançou seu primeiro CD solo intitulado “Clarinete Solo Brasileiro” um registro inédito de obras de compositores eruditos brasileiros contemporâneos. Como camerista integra o Duo Palheta ao Piano com a pianista Clenice Ortigara registrando em três CDs e um DVD obras de música brasileira de câmara.

Ivan Sacerdote

Possui uma linguagem plural no instrumento, passando pelo Choro, Samba, Jazz, Forró, Música de concerto, Reggae, Cumbia entre outros estilos musicas, o clarinetista explora a versatilidade do clarinete tendo como plano de fundo a Cidade de Salvador e sua diversidade musical. Já atuou como solista frente a Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Bahia, Regional Os Ingênuos, Grupo Mandaia e Grupo Casa Verde até chegar ao seu projeto solo (Ivan Sacerdote trio). Desde 2012 integra o quarteto que acompanha a cantora, compositora e instrumentista baiana Rosa Passos em turnês e gravações. Já se apresentou ao lado de grandes nomes da música brasileira (Hermeto Pascoal, Paulinho da Viola, Seu Jorge, Armandinho Macedo, entre outros). Acaba de gravar seu primeiro disco, ao lado do multi-instrumentista Felipe Guedes, com lançamento previsto para 2020 . Em fevereiro e abril desse ano, entrou em estúdio a convite do cantor, compositor e instrumentista Caetano Veloso para a gravação de um disco em duo, onde Ivan sacerdote atua como melodista e improvisador ao lado do renomado artista. As gravações aconteceram em Salvador e Nova York e será lançado em breve em pela Uns Produções e Vevo Records. É artista patrocinado pela marca de clarinetes Devon & Burgani e pelas Palhetas Gonzalez.

Sérgio Burgani

Mestre em Performance pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Bacharel em Música pela Faculdade de Música Carlos Gomes, tem suas principais atividades profissionais como clarinetista em orquestras e grupos de música de câmara. Atualmente é professor do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (IA-Unesp) e integrante da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) como primeiro clarinete-solo. Também é sócio proprietário da fábrica de clarinetes Devon & Burgani, onde desenvolve projetos na fabricação de novos clarinetes feitos com madeiras reutilizáveis. Assessor do Projeto Guri Santa Marcelina desempenha as funções de autor de método para clarineta, monitoria nos cursos de capacitação, além de fazer parte do júri nos concursos de admissão de novos funcionários da instituição.

Cristiano Alves

Doutor em Música pela UNICAMP e Mestre pela UFRJ, Cristiano Alves é detentor de diversas premiações em importantes concursos, tendo graduado-se com summa cum laude pela UFRJ, onde leciona há quase vinte anos. Participou de centenas de gravações fonográficas e apresenta-se com frequência em vários países das Américas, Europa e Ásia. Com destacada carreira como solista, foi responsável por diversas primeiras audições, tendo também colaborado com os naipes de prestigiosas orquestras como OPES, OSB, OSESP e Orquestra do Mercosul. Leciona frequentemente em diversos Festivais de Música no Brasil e no exterior. Além de lançamentos de CDs solo, possui publicações em método, artigos e livros. Grandes compositores da música brasileira dedicaram-lhe dezenas de composições. Atua na produção fonográfica como diretor artístico do Selo e do Estúdio A Casa. Idealizou e coordena, há sete anos, o FIC-Rio, Festival Internacional de Clarinetistas.

Javier Asdrúbal Vinasco

Clarinetista colombiano con quince discos como solista -uno de ellos nominado a los Latin Grammy Awards - y múltiples estrenos entre los que se destacan los conciertos para clarinete y orquesta sinfónica, que le han sido dedicados, de Andrés Posada, Diego Vega y Marco Alunno. Vinasco es Doctor en Música de la Universidad Nacional Autónoma de México, grado que obtuvo con mención de honor y la medalla Alfonso Caso. Es representante por Colombia ante la International Clarinet Association y director del Festival ClariSax de Medellín. Ha tocado como solista en más de 50 ocasiones con orquestas de Latinoamérica y ha integrado la Filarmónica de Bogotá y la Sinfónica EAFIT; además, ha sido clarinetista principal invitado de la City of London Sinfonia y de la Sinfónica del Estado de México. Ha tenido presentaciones, ya sea tocando o impartiendo clases, en diferentes teatros y universidades de Japón, Estados Unidos, Canadá, Italia, Francia, Bélgica, Alemania, Austria, México, Panamá, Cuba, Venezuela, Brasil, Argentina, Perú y Colombia. Es artista de las marcas Vandoren y Yamaha, y desde 2008 trabaja en la Universidad EAFIT de Medellín, donde se desempeña como docente de clarinete y actual Jefe del Departamento de Música. Mayor información en www.javiervinasco.com.